a informação essencial
Pub

PSD e CDU aprovam expropriação

FOTO: Diana Familiar
//
Partilha

Ampliação do cemitério n.º 1

O processo de expropriação para ampliação do cemitério n.º 1 foi aprovado pelos votos favoráveis do PSD e da CDU, pelos votos contra do PS e pela abstenção do Movimento Independente SJM Sempre na assembleia municipal de 26 de abril.
Os socialistas sempre demonstraram estar "contra o aumento do cemitério no centro da cidade", recordou Rodolfo Andrade, líder da bancada do PS, considerando que a ampliação deveria ser efetuada noutro local.
Para Ilídio Leite, líder de bancada do PSD, esta "não é grande ampliação. A solução é tirá-lo de onde está e colocá-lo noutro sítio", questionou. Logo a seguir, Rodolfo Andrade esclareceu que "ninguém falou em ser retirado. Não queremos tirar campas, jazigos, não queremos tirar o cemitério de onde está". Simplesmente, "os cemitérios não nascem no centro da cidade. Ele quando nasceu aquela zona era um bocado a periferia, agora é o centro. Há outras zonas onde pode ser construído. Não somos contra cemitérios. Achamos que aquela zona não é própria para o alargamento do cemitério", salientou o líder da bancada socialista.
O deputado independente Manuel Neves não conseguiu tomar nenhuma decisão sobre o assunto pelo facto de a informação anexa ser insuficiente. Contudo, não deixou de dizer que "não faz sentido ter um cemitério no centro. Aquela zona poderia servir para outra coisa que não a ampliação do cemitério".
"A proximidade do cemitério com as pessoas é uma realidade com a qual vivemos bem", afirmou Jorge Cortez, deputado da CDU, considerando que "a sua ampliação faz sentido e fica num espaço que se tiver o enquadramento adequado na zona Sul ficará interessante". A CDU não está é de acordo com o plano de pormenor construído para o Largo do Souto. "Um plano que deve ser sujeito a revisão", rematou Jorge Cortez.
O Plano de Pormenor do Largo do Souto, da autoria do arquiteto Souto Moura, foi aprovado apenas pelos votos do PSD numa assembleia municipal em 2012. Na altura, PS e CDU votaram contra.
O Plano de Pormenor do Largo do Souto previa a demolição do Instituto de Línguas, do Centro Paroquial e da Casa do Abade e a sua inclusão num único edifício. A proposta de Souto Moura apontava ainda a construção de uma nova igreja onde está a residência paroquial. O plano previa ainda a construção de um novo jardim e a reestruturação dos cemitérios 1 e 2. Mais tarde, PS e CDU chumbaram um conjunto de expropriações com vista à ampliação do cemitério n. º1 numa assembleia municipal em 2014.
A CDU “não está contra a ampliação do cemitério, mas contra o Plano de Pormenor do Largo do Souto”, afirmou Jorge Cortez. A CDU votou contra a ampliação do cemitério em 2014 porque “não havia abertura por parte da câmara para rever o plano de pormenor”. A CDU votou agora a favor porque “sentiu abertura por parte da câmara para rever” o Plano de Pormenor do Largo do Souto, esclareceu Jorge Cortez ao labor.
A expropriação para ampliação do cemitério n.º 1 enfrenta agora “um processo burocrático complexo”, afirmou a Câmara Municipal (CM) de S. João da Madeira (SJM), sem conseguir precisar o tempo que poderá demorar. Só depois de ultrapassado este processo burocrático é que a CM de SJM poderá avançar com o concurso e iniciar a obra.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas