a informação essencial
Pub
Partilha

PSD local e PSD nacional não estão em sintonia quanto à integração da freguesia de Milheirós de Poiares no concelho de S. João da Madeira. E o PS e a CDU fizeram questão de trazer a público esta “discordância” na última Assembleia Municipal

Tags

Milheirós “só não passa” para S. João porque PSD vota “contra”

FOTO: Gisélia Nunes
//
Partilha

PSD local e PSD nacional não estão em sintonia quanto à integração da freguesia de Milheirós de Poiares no concelho de S. João da Madeira. E o PS e a CDU fizeram questão de trazer a público esta “discordância” na última Assembleia Municipal

Esta última quinta-feira, numa sessão em que “por motivos de força maior” o autarca Ricardo Figueiredo não pôde estar presente, a Assembleia Municipal (AM) de S. João da Madeira aprovou por maioria, com a abstenção da CDU, uma moção contra a petição pública "Não à desanexação de Milheirós de Poiares", da autoria do Município de Santa Maria da Feira e que já foi entregue na Assembleia da República.
Com esta tomada de posição, a AM reafirma assim a sua deliberação de 4 de janeiro de 2017, “assumindo manifesto apoio à vontade democraticamente expressa pela população de Milheirós de Poiares de integrar o concelho de São João da Madeira”.
Mas ainda antes da votação, os grupos municipais do PS, CDU e PSD "trocaram galhardetes", com o primeiro, na pessoa do seu líder Rodolfo Andrade, a afirmar que "Milheirós de Poiares só não passa para S. João da Madeira porque o PSD vai votar contra", e com o comunista Jorge Cortez a avisar que “a proposta vai ser reprovada”, que “não passa neste mandato”, por isso, “não alimentem as expetativas”.
Tal como tem vindo a defender sempre que o assunto “vem à baila”, Jorge Cortez voltou a sustentar no passado dia 23 de fevereiro que “não somos favoráveis à integração de Milheirós de Poiares nos moldes em que ela é feita”. Isto é, “sem a posição favorável dos dois municípios mais a da freguesia”.
“Não temos duas caras, temos uma só”, deixou claro. “Tivemos o mesmo sentido de voto na Feira e em S. João da Madeira”, acrescentou em resposta a Carlos Fernandes (PSD) que, minutos antes, havia dito que “não posso nem quero entender esta vossa posição quando está em causa a minha terra, S. João da Madeira”.
“O que está em causa é a unidade nacional, a coesão entre os municípios”, afirmou Jorge Cortez, acusando o PSD “de falta de agilidade para convencer a Feira a mudar de posição”.

"Não será benéfico escalpelizar guerrilhas partidárias"

Em defesa da sua posição "pró integração" de Milheirós de Poiares, contrariando o seu partido a nível nacional, Ilídio Leite referiu que "não será benéfico escalpelizar guerrilhas partidárias". E garantiu que se "o PSD votar contra na Assembleia da República somos os primeiros a criticar contundentemente o seu voto".
Assumindo “a nossa discordância em relação à posição do PSD nacional”, o grupo municipal liderado por Ilídio Leite assegurou “acreditar até ao fim” e “lutar por aquilo em que acreditamos”, referindo-se à Petição 245/XIII2ª como “uma manobra que visa tentar esmorecer a vontade democrática de Milheirós de Poiares”.
Do lado da bancada “laranja”, Susana Lamas ainda foi interpelada por Rodolfo Andrade. O socialista queria saber qual será o sentido de voto da deputada quando a petição for votada na Assembleia da República. Mas a social-democrata optou por se remeter ao silêncio.
Esta sessão da AM continua hoje, dia 2 de março. Da ordem de trabalhos constam os seguintes pontos: “Tomada de posição sobre o tarifário atualmente em vigor na empresas Águas de S. João (ponto requerido pelo Grupo Municipal do PS)” e “Apreciação da informação escrita do presidente da câmara”.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas