a informação essencial
Pub
Partilha

Comissão de festas queixa-se que peditório está a correr “um bocadinho pior” do que em outros anos

Tags

Miguel Araújo é cabeça de cartaz das Festas da Cidade

FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Comissão de festas queixa-se que peditório está a correr “um bocadinho pior” do que em outros anos

Este ano, tal como o labor adiantou em primeira mão nos seus site e página de Facebook já na terça-feira da semana passada, é Miguel Araújo o cabeça de cartaz das Festas da Cidade de S. João da Madeira em honra de S. João Baptista que se realizam de 21 a 25 de junho. O ex-elemento d’ Os Azeitonas atua, juntamente com a sua banda, no próximo dia 25, às 22h00, no Jardim Municipal (JM), antecedendo o espetáculo de fogo-de-artifício com início às 23h45.
O concerto de Miguel Araújo é, segundo o presidente da comissão de festas (CF), um dos “momentos altos” do programa de 2018, assim como as tradicionais Marchas Populares protagonizadas pelos alunos das escolas sanjoanenses que vão sair à rua - entenda-se Avenida da Liberdade - a 21 deste mês, pelas 20h45, estando previsto que terminem junto à Casa da Criatividade.
Em declarações ao jornal, Adelino Calhau destacou ainda a “Noite de S. João”, no sábado 23 de junho, a partir das 22h30 com a atuação da Banda Alfa 2, e a procissão solene (com o mesmo itinerário dos outros anos) às 17h00 de domingo.
Mas a programação das festividades não se queda por aqui. Na sexta-feira, 22 de junho, às 22h00, sobe ao palco do JM o Grupo MG4. Seguem-se, no dia seguinte, pelas 16h00, as danças do EquilibrioFit Ginásio e à noite, às 21h30, o terço e a procissão de velas desde a Capela de Santo António à Igreja Matriz.
O domingo começa com uma missa solene, às 11h30, na Igreja Matriz. Já a tarde conta, para além da procissão, com uma arruada até à Santa Casa da Misericórdia com a participação da Banda de Música de S. João da Madeira e da Banda Musical de Oliveira (Barcelos), às 15h30. Note-se que as duas filarmónicas têm, depois, encontro marcado no JM às 21h30.
As Festas da Cidade centram-se essencialmente na zona da Avenida da Liberdade e do Jardim Municipal, junto ao edifício da câmara.

Peditório está a correr “um bocadinho pior”
Para o “número um “ da CF, “o cartaz mantém-se com a qualidade de outros anos”. Na sua ótica, “o artista [principal] está ao nível do que tem havido em anos anteriores”. Agora, o que não está a acontecer como em outras edições é o peditório porta a porta, que está a correr “um bocadinho pior”, referiu Adelino Calhau o labor.
Ainda ao semanário, o responsável confirmou que o subsídio camarário é de 28 mil euros (menos nove mil euros do que em 2017). Quanto ao orçamento das Festas da Cidade, preferiu não avançar com números: “Não faço contas ao orçamento [risos]”.
Em jeito de remate, o líder da CF disse esperar que “venha bom tempo” e que “as pessoas desfrutem das festas”.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas