a informação essencial
Pub

BE quer “investimentos urgentes” no CHEDV

Partilha

Por parte do Governo

Em nota informativa remetida ao labor, o Bloco de Esquerda (BE) refere ter tomado conhecimento que "há vários investimentos programados [para o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (CHEDV)] que continuam a aguardar autorização do Governo, alguns há mais de um ano". E defende que "esta demora não pode continuar".
O BE fala concretamente num equipamento de ressonância magnética "há muito considerado necessário, nomeadamente no Hospital de S. Sebastião"; na aquisição de uma câmara de fluxo laminar, “fundamental para melhorar as condições em que são produzidos os medicamentos para os doentes oncológicos seguidos pelo centro hospitalar”; e no reconhecimento pela tutela do CHEDV "como um hospital oncológico".
Ainda a propósito da máquina de ressonância magnética, os bloquistas chamam a atenção - no comunicado recebido pelo jornal - para que “anualmente o CHEDV gasta cerca de 300 mil euros a contratar este serviço a entidades externas (despesa à qual se soma ainda o gasto com os transportes de utentes)”.
Por estas e por outras razões, o Bloco quer “o desbloqueio de verbas que são necessárias para melhorar o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga e, com isso, melhorar a prestação de cuidados de saúde a 340 mil habitantes que são servidos diretamente por este centro hospitalar”.
Recorde-se que o CHEDV é composto pelas unidades hospitalares de Santa Maria da Feira, Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira, servindo os concelhos de Santa Maria da Feira, Arouca, S. João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Ovar e Castelo de Paiva.
Interpelado pelo labor, o CHEDV não quis pronunciar-se sobre o assunto.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas