a informação essencial
Pub
Partilha

Até ao dia 10 de abril, data limite de entrega das listas, poderá haver um único projeto

Tags

Olindo Costa e Susana Lamas candidatos à liderança do PSD

Partilha

Até ao dia 10 de abril, data limite de entrega das listas, poderá haver um único projeto

A Comissão Política Concelhia (CPC) do PSD de S. João da Madeira (SJM) vai a eleições no dia 13 de abril.
De momento, Olindo Costa e Susana Lamas são os candidatos oficiais que vão disputar a liderança do PSD. Uma disputa que não contará com Paulo Cavaleiro, atual líder da estrutura social-democrata, por decisão do próprio. Entre as razões poderá estar o resultado eleitoral das últimas eleições autárquicas em que a candidatura liderada por Paulo Cavaleiro, pela coligação PSD/CDS-PP, perdeu a maioria absoluta conquistada nas eleições intercalares de 24 de janeiro. A coligação passou de quatro vereadores eleitos para dois e o PS de três passou para cinco eleitos nas últimas autárquicas.
A candidatura de Susana Lamas foi avançada a semana passada por outro órgão de comunicação local. Uma decisão “muito recente” envolta num processo ainda “muito embrionário”, confirmou a própria ao labor.
O desafio foi aceite depois de ter sido lançado por “um grupo de pessoas” do partido, adiantou Susana Lamas.
A candidata tem 49 anos, é advogada, professora, deputada do PSD na Assembleia Municipal e na Assembleia da República eleita pelo círculo de Aveiro.
A candidatura de Olindo Costa está em cima da mesa desde o dia 5 de outubro depois da “hecatombe” do PSD, que concorreu coligado com o CDS, nas últimas eleições autárquicas, confirmou o próprio ao labor.
O candidato tem 53 anos, é trabalhador independente, já foi presidente da JSD durante 10 anos, vice-presidente da JSD Distrital de Aveiro e deputado na Assembleia Municipal.
Olindo Costa, tal como Susana Lamas, foi abordado por um grupo de pessoas e de militantes que manifestaram apoio a uma candidatura sua à liderança do partido social-democrata.
O candidato tem trabalhado em algumas linhas de orientação do seu programa com o mote “Revitalizar Estruturas...Fortalecer o Partido”, revelou Olindo Costa sem adiantar, pelo menos para já, mais pormenores sobre a sua candidatura.
Por enquanto, a certeza é a existência de dois candidatos à liderança do PSD, mas até ao dia 10 de abril, data limite de entrega das listas, poderá haver um único projeto.
“Para mim haver duas listas é muito saudável, mas neste momento o partido está espartilhado então seria de bom senso e de bom tom tentar unir esforços no sentido de conseguir um apoio abrangente em volta de um projeto seja ele de quem for”, considerou o candidato, destacando a importância de “unir e fortificar o partido”.
Os dois candidatos estiveram juntos esta semana para “trocar impressões” e ver se é “possível chegar a uma plataforma de entendimento”. Assim sendo, poderá estar em cima da mesa um “projeto único” cujo intuito é “fazer um trabalho de base junto dos militantes e junto da comunidade”, adiantou Olindo Costa ao labor.
Até ao fecho da edição não conseguimos contactar Susana Lamas acerca desta possibilidade de um “projeto único”.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas