a informação essencial
Pub
Partilha

Intervenção terá lugar em quatro edifícios de habitação social do Bairro do Orreiro

Tags

Contrato da empreitada de reabilitação assinado ontem

FOTO: Nuno Santos Ferreira
Partilha

Intervenção terá lugar em quatro edifícios de habitação social do Bairro do Orreiro

Após aprovação da minuta em sede de executivo municipal na passada terça-feira, o contrato da empreitada de reabilitação de quatro prédios de habitação social do Bairro do Orreiro foi assinado ontem, quarta-feira. O arranque da obra poderá acontecer daqui a um mês, conforme o labor conseguiu apurar.
Depois de os “serviços [camarários]” terem divisado “a necessidade de alterar a minuta”, o tema veio, uma vez mais, à reunião de câmara. Com Paulo Cavaleiro a “apontar o dedo” novamente à forma como a autarquia tratou esta questão.
Não obstante ter votado a favor deste ponto da ordem de trabalhos - até porque, conforme esclareceu, ele e Fátima Roldão estão ali para “fazer oposição positiva e construtiva” -, o vereador da coligação PSD/CDS-PP referiu que “a câmara devia ter sido mais diligente, devia e podia ter dado mais atenção ao assunto”. “É lamentável que uma coisa que podia já estar em obra não está, porque o senhor presidente não deu valor ao alerta que fiz na reunião de 31 de outubro”, “atirou” Paulo Cavaleiro, não demorando muito até receber o “troco” de Jorge Sequeira.
Segundo o autarca de S. João da Madeira, “o contrato [até] podia ter sido assinado a 23 de setembro de 2017” e não foi. De qualquer modo, “não vamos fazer juízos sobre essa matéria”, afirmou, garantindo, de seguida, que os “alertas não caíram em saco roto”.
Ainda a propósito, o edil deixou claro que não andam “a brincar às reuniões de câmara”, sendo certo que “levo tudo muito a sério”, inclusive “tudo o que é dito pelos vereadores da oposição”.

Obra no valor de cerca de 760 mil euros
Recorde-se que a obra em causa diz respeito a edifícios construídos há cerca de 20 anos no Bairro do Orreiro, num total de mais de uma centena de fogos. Trata-se de um investimento de aproximadamente 760 mil euros (mais IVA), contando com uma comparticipação de fundos comunitários de 85%.
A intervenção prevista incide no exterior dos prédios e nas suas zonas comuns interiores, melhorando as condições de salubridade e conforto, assim como a sua eficiência energética, com reforço da proteção térmica e do controle das infiltrações de ar, reduzindo o risco de aparecimento de patologias associadas a infiltrações de humidade e condensações.
Entre os melhoramentos concretos contam-se a colocação de vidro duplo nas janelas, adaptação do sistema de drenagem de águas pluviais, aplicação de revestimento/isolamento exterior em fachadas, substituição de coberturas, pintura de paredes e tetos, restauro e reparação de portas de armários, de pavimento e de rodapés. Refira-se ainda a aplicação de novos estendais, prevendo uma melhoria estética, funcional e visual.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas