a informação essencial
Pub
Partilha

Espaço foi projetado para acolher clientes também do concelho de S. João da Madeira

Tags

Centro de Estimulação para Pessoas com Demência único no país

FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Espaço foi projetado para acolher clientes também do concelho de S. João da Madeira

Em Santiago de Riba-Ul, no concelho vizinho de Oliveira de Azeméis, mais concretamente nas instalações da Associação de Melhoramentos Pró-Outeiro (AMPO), o Centro de Estimulação para Pessoas com Demência (CEPD) não demora muito a abrir portas. O ato inaugural está previsto para o “final do ano”, conforme adiantou ao labor Joana Correia, coordenadora do CEPD e diretora geral da AMPO.
Trata-se de “uma resposta qualificada” ao nível da saúde mental, única no país, tendo em vista “manter, ou mesmo elevar, a dignidade da pessoa com demência”, quem vem juntar-se às valências Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário, que a AMPO já tem, e ainda ao novo Lar de Terceira Idade que vai abrir em novembro.
Com capacidade máxima para 60 pessoas e funcionando de segunda a sexta-feira das 09h00 às 18h00 na AMPO, um dos objetivos deste espaço composto por seis salas distintas, onde em cada uma haverá uma estimulação específica, é “evitar a institucionalização” daqueles que sofrem de Alzheimer ou de outras doenças que provocam demência. Ou seja, no final do dia, os clientes regressarão às suas casas, para junto dos seus familiares ou de outros pessoas que cuidem deles.
A ideia - segundo Ana Correia, animadora sociocultural da instituição santiaguense, que também está ligada a este projeto inovador, com quem o nosso jornal falou - é dar “uma resposta adequada ao problema, aumentando a qualidade de vida” não só dos utentes, mas também de todas as pessoas envolvidas.
Falamos, pois, de uma “nova forma de tratamento não farmacológico da demência, trabalhando a capacitação dos clientes (estimulação diária e não pontual em seis áreas distintas e não só a nível cognitivo); a formação/capacitação dos cuidadores, profissionais, comunidade; a utilização das novas tecnologias (através da criação de uma plataforma online, onde toda a equipa técnica registará o tratamento e a evolução dos utentes e a família poderá ter acesso a partir de sua casa), a criação de resultados com valor científico para estudos de investigação; a criação de um grupo de auto-ajuda que será dinamizado pelo profissional de psicologia, envolvendo todos os familiares/cuidadores e demais pessoas interessadas; a criação de um tratamento de proximidade; o descanso do cuidador durante o período diurno, não sofrendo, assim, o afastamento devido à institucionalização do seu familiar”.

Projeto “abre portas” também a S. João da Madeira

Embora tenha resultado de uma candidatura apresentada ao Portugal 2020 (programa Parcerias para o Impacto – Portugal Inovação Social) pela AMPO em parceria com a câmara de Oliveira de Azeméis e vá ser posto em prática em Santiago de Riba-Ul, a verdade é que este projeto abrangerá também “os concelhos limítrofes”, um dos quais S. João da Madeira, e, quem sabe, outras zonas do país.
Tudo depende da recetividade das várias autarquias que a “Pró-Outeiro” está a contactar neste momento - com o propósito de “estabelecer protocolos de colaboração” para que, “por exemplo no caso dos doentes mais desfavorecidos, sejam os próprios Municípios a suportarem determinados custos” – e da possibilidade do Estado vir a apoiar também o CEPD.
“Apoios à parte”, o Centro de Estimulação para Pessoas com Demência, além da intervenção, vai contemplar igualmente uma vertente formação - isto é, vai ser criado um plano de formação anual, com vista a colmatar a mesma e criar espaços de partilha de conhecimento e troca de instruções – e uma outra de investigação.
Em relação a esta última, o CEPD vai ter uma comissão científica, da Universidade de Aveiro, “a trabalhar connosco que vai fazer investigação na área da gerontologia”, esclareceu Ana Correia.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas