a informação essencial
Pub

Breves da Assembleia Municipal

Partilha

Voto pesar A assembleia municipal concedeu um minuto de silêncio e aprovou um voto de pesar pelas vitimas dos incêndios em Pedrogão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos.

Árvores A câmara municipal deverá ter atenção ao estado e à manutenção das árvores espalhadas pela cidade, avisou Rita Mendes, deputada da CDU, lembrando a queda de uma árvore na Avenida Renato Araújo, no dia 22 de junho, condicionando o trânsito entre o Hospital de S. João da Madeira e o Centro Comercial 8.ª Avenida.
O tema das árvores voltou a ser mencionado pelo deputado independente Manuel Neves, criticando a criação de uma Comissão para o Corte de Árvores cujos elementos pediram um conjunto de informações na última reunião a 22 de março deste ano, mas ainda não receberam resposta. Manuel Neves relembrou ainda que o movimento que representa sugeriu, em tempos, a criação de um regulamento a ser aplicado no corte de árvores. Por sua vez, Artur Nunes, deputado socialista, quis saber quando será a próxima reunião desta comissão.

Iluminação A iluminação pública deve ser revista em algumas zonas porque “põe em perigo os peões”, alertou Rita Mendes, deputada da CDU, dando como exemplo a Avenida Renato Araújo.

Bebedouros O jardim de Casaldelo tem “dois bebedouros sem ligação à água”, chamou à atenção Manuel Neves, deputado do Movimento Independente SJM Sempre.

Água “Os sanjoanenses tinham razão sobre a situação ilegal e foram reembolsados”, afirmou Rodolfo Andrade, líder socialista, sobre a fatura da água. Recorde-se que o executivo municipal aprovou por maioria, no passado dia 7 de março, uma alteração das tarifas de água e saneamento - imposta pela tutela nos termos do n.º 2 da cláusula 10.ª do Acordo Parassocial que prevê a atualização automática dos valores das tarifas de disponibilidade, de utilização e outros serviços a partir de 1 de fevereiro de 2017. Na altura foi levantada a possibilidade de as novas tarifas terem sido aplicadas em consumos anteriores a 1 de fevereiro. Se tiverem sido, "tem de se fazer a devida correção", disse Ricardo Figueiredo, na altura. O presidente da câmara Ricardo Figueiredo confirmou "a devolução de uma parte da importância aos munícipes. A próxima será feita na próxima fatura" durante a assembleia municipal de 29 de junho.

Cidade A munícipe Ana Couto convidou todos os representantes de forças políticas a refletirem sobre o estado da cidade sanjoanense. Ana Couto recorreu a fotografias que demonstram, a seu ver, “a falta de cuidado, de brio e a indiferença a que a cidade está condenada”. Para esta munícipe, “S. João da Madeira está a avançar no sentido oposto ao pretendido”, aproveitando o momento de intervenção para mencionar o Albergue de Animais Errantes, projeto vencedor do Orçamento Participativo Municipal 2014, cuja obra está a decorrer, mas ainda por concluir.

Empréstimo A câmara apresentou uma proposta de pedido de empréstimo de meio milhão de euros a médio e longo prazo a 12 anos para suportar “a contrapartida nacional aos projetos financiados pelos fundos comunitários”, explicou o presidente Ricardo Figueiredo. O total de investimentos é 4,447.222,02 milhões de euros, dos quais 3.967.638,72 milhões a fundo perdido e 479.583,30 a garantia dada pelo município sanjoanense. Os projetos em causa são a ampliação do Parque Urbano do Rio Ul e a reabilitação da Praça Luís Ribeiro, cujas candidaturas estão aprovadas, e a reabilitação e modernização da escola Secundária Dr. Serafim Leite, reabilitação de quatro edifícios de habitação social e projeto inov de inclusão social Habitus com as candidaturas submetidas e a aguardar uma decisão.
“Achamos que os valores a fundo perdido devem ser aproveitados. Somos a favor do investimento e crescimento”, afirmou a deputada Rita Mendes em nome da CDU, considerando que “não há crescimento sem endividamento que é, neste caso, equilibrado”. O independente Manuel Neves também demonstrou ser favorável ao pedido de empréstimo, mas “estas não são as obras com a qualidade que queríamos e não entendemos porque ainda não foram feitas”. O empréstimo foi aprovado com uma abstenção do PS.

Vegetação O deputado Jorge Cortez da CDU demonstrou preocupação para com a vegetação, nomeadamente aquela que está seca em Casaldelo, Fontainhas e Quintã. "Depois do descalabro dos incêndios devemos refletir sobre as boas práticas, ainda que tenhamos pouco espaço de floresta", afirmou Jorge Cortez.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas