a informação essencial
Pub
Partilha

Jorge Cortez é candidato à assembleia municipal e Joana Dias à junta de freguesia

Tags

Rita Mendes é a candidata da CDU à câmara

FOTO: Diana Familiar
FOTO: Arquivo Labor
Partilha

Jorge Cortez é candidato à assembleia municipal e Joana Dias à junta de freguesia

A CDU apresentou os candidatos aos órgãos autárquicos de S. João da Madeira nas eleições autárquicas marcadas para 1 de outubro de 2017.
Os três candidatos sanjoanenses foram dados a conhecer no dia 10 de abril, pelas 11h15, na sede de trabalho do PCP em S. João da Madeira.
A professora Rita Mendes é a candidata à Câmara Municipal (CM) de S. João da Madeira (SJM), o engenheiro Jorge Cortez à assembleia municipal e Joana Dias, funcionária no Lar Residencial da CERCI, à junta de freguesia.
Os três candidatos são sanjoanenses. Tanto Rita Mendes como Jorge Cortez são rostos conhecidos da CDU. Já Joana Dias é a novidade entre os candidatos.
O desafio de encabeçar a lista da CDU voltou a ser colocado e Rita Mendes aceitou-o novamente “por entender que tenho condições políticas, sociais e humanas” para representar a coligação e o seu projeto para S. João da Madeira nestas eleições autárquicas, revelou a candidata à CM de SJM. A última vez aconteceu precisamente nas últimas eleições autárquicas de 2013.
A candidata Rita Mendes apresentou-se como uma cidadã nada e criada em S. João da Madeira cuja vida está ligada à sua terra. É comunista e como tal participa na coligação CDU onde comunistas, ecologistas e independentes de esquerda estão presentes para “lutar por melhores autarquias”, afirmou Rita Mendes.
A lista da CDU apresenta “propostas concretas” que contribuem para “uma cidade mais solidária, justa e moderna” em SJM, disse a candidata à CM.
As propostas dos comunistas passam por garantir habitação (rever o valor das rendas sociais, construir mais habitação social digna e incentivar jovens a criar família); dinamizar emprego (combater o desemprego, a pobreza e a exclusão socia); melhorar as condições ambientais (evitar os atos poluentes que contaminam os recursos hídricos e a qualidade do ar); pugnar pela municipalização da água (repor a distribuição na dependência direta e exclusiva da CM de SJM e diminuir o custo); pugnar pela ligação às autoestradas (A1 e A29) e pela descida de preço da A32; melhorar as condições pedonais para que os peões possam circular em segurança; lutar pela reposição do Serviço de Urgência Médico Cirúrgica no Hospital de S. João da Madeira, repor valências médicas e autonomia administrativa; apoiar o comércio tradicional (ao traçar estratégias para conseguir concorrer com grandes superfícies) e as pequenas e médias empresas (ao criar condições de desenvolvimento); criar acesso democrático à cultura e dinamizar e apoiar as práticas desportivas e envolver os sanjoanenses no planeamento e desenvolvimento da cidade.
Estes são “compromissos e não promessas de circunstância” que a CDU assume com “honestidade, trabalho e competência”, revelou Rita Mendes
A meta traçada pela CDU para estas eleições autárquicas é “aumentar a representação nos órgãos autárquicos”, adiantou a professora e cabeça de lista, apelando aos munícipes para votar na CDU de quem podem esperar “competência e empenho no trabalho pela nossa cidade”.
A candidata à CM de SJM prometeu continuar com a luta da CDU para com o seu programa e para com as melhores condições de vida dos sanjoanenses. “O contacto com as pessoas demonstra que as pessoas querem aumentar a representação da CDU”, confessou Rita Mendes. A professora terminou a intervenção com o apelo ao voto na CDU porque “provamos com o nosso percurso que somos uma força política que, com trabalho, honestidade e competência, nos empenhamos na defesa da nossa cidade”.

“Todos os eleitos tinham pelouros. Todos tinham responsabilidade na gestão”

A CDU não elegeu vereadores para a CM, mas conseguiu eleger um deputado para a Assembleia de Freguesia e dois para a Assembleia Municipal de S. João da Madeira nas eleições autárquicas de 2013. A CM de SJM caiu depois da renúncia de mandato por parte do PSD que levou a realizar eleições intercalares a 24 de janeiro de 2016 pela segunda vez na história do Município.
O PSD alegou um “bloqueio” por parte da oposição representada pelo PS e pelo Movimento Independente SJM Sempre nas últimas eleições autárquicas. A solução deste bloqueio seria alcançar uma maioria absoluta que aconteceu nas eleições intercalares (o PSD aumentou de três para quatro eleitos, o PS manteve três e o independente perdeu o lugar). Se a CDU estivesse representada na CM de SJM “não participava no sentido de bloquear”, mas centrada no “progresso e desenvolvimento” da cidade sempre com “transparência nos desenvolvimentos”, assumiu Rita Mendes.
A primeira eleição intercalar em SJM foi realizada em 1984. A renúncia de José da Silva Pinho, da AD, resultou na ascensão de Manuel Cambra, do CDS-PP, que acabou por ficar cinco mandatos. A CM de SJM era presidida por Manuel Cambra acompanhado de dois vereadores do CDS-PP, dois vereadores do PS, um do PSD e um da APU.
Jorge Cortez foi eleito vereador da APU e lembrou que “todos os eleitos tinham pelouros. Todos tinham responsabilidade na gestão”. A pluralidade de forças políticas, de ideais e de princípios não foi sempre fácil. Por isso mesmo, “muitas vezes será preciso encontrar um compromisso na gestão”, disse o candidato da CDU à AM.
“A nossa postura não é parlamentar na CM de SJM, que é um órgão executivo em que todos os eleitos devem participar na gestão”, concluiu Jorge Cortez.

Impressão digital dos candidatos

Rita Mendes, 37 anos, Professora
Licenciada em Ensino Básico – 1.º ciclo, mestrada em Educação em Línguas pela Universidade de Aveiro e doutorada em Educação.
Foi presidente da Associação de Estudantes da Escola João da Silva Correia e dirigente do Sindicato de Professores do Norte. É membro da Direção da Organização Distrital do PCP e integra a Comissão Concelhia de S. João da Madeira. Foi candidata da CDU à CM em 2013. Foi e é eleita na assembleia municipal.

Jorge Cortez, 62 anos, Engenheiro
Licenciado em Engenharia Mecânica com a especialidade de gestão da produção.
Foi praticante de basquetebol da sanjoanense das camadas jovens, dirigente associativo estudantil no ensino superior, sócio e dirigente de várias coletividades. Militante do Partido Comunista Português. Foi membro da Assembleia de Freguesia, vereador da CM, foi e é eleito da assembleia municipal

Joana Dias, 33 anos, Animadora Sociocultural
Curso Tecnológico de Animação Sociocultural.   Trabalhou no Espaço Fantasia – Espaço de gestão da Habitar na dinamização e ocupação de tempos livres de seniores e crianças em contexto de bairro social.    Atualmente, é funcionária do Lar Residencial da CERCI. Dirigente sindical do CESP. Foi membro da direção Nacional da Interjovem. É membro da direção da União Sindicatos de Aveiro. É membro da Comissão Concelhia de S. João da Madeira do PCP e integrou a lista da CDU às eleições legislativas de 2015.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas