a informação essencial
Pub

Câmara investe um milhão em intervenção no Parque do Rio Ul

Planta da Casa da Eira
FOTO: Direitos Reservados
Planta da Casa do Forno
FOTO: Direitos Reservados
Casa da Eira
FOTO: Diana Familiar
Casa da Eira
FOTO: Diana Familiar
Partilha

As intervenções do projeto de conservação e dinamização do Parque Urbano do Rio UL começam brevemente, confirmou a Câmara Municipal de S. João da Madeira ao labor.
O concurso para levar a cabo estas intervenções será lançado ainda durante este mês.
A candidatura apresentada para esta que é a terceira fase da ampliação deste parque custará cerca de um milhão de euros ao Município.
Os principais objetivos desta candidatura são recuperar o património existente e a história, promover a educação ambiental, aumentar o conhecimento do valor natural da área e criar mais habitats, criar condições para o envolvimento ativo de todos os visitantes.
O património existente a recuperar será a Casa da Eira e o Moinho e a nova criação será a Casa do Forno. A Casa da Natureza sofrerá pequenas alterações como a substituição do mobiliário por um que seja feito cem porcento por materiais naturais.
A Casa da Eira tem dois andares, precisa de ser recuperada interior e exteriormente e o espaço será delimitado por um muro. O primeiro andar servirá para armazenar milho (espigueiro) e o segundo será um atelier para atividades pedagógicas inseridas no plano de atividades do Parque do Rio Ul. Uma das utilidades do espaço exterior será para a realização das tradicionais, em alguns locais, desfolhadas.
O moinho de água sofrerá alterações para um melhor desempenho e uma melhor autonomia. O milho da desfolhada será depois transportado para o moinho onde será moído. Neste espaço, haverá ainda sacos com farinha de milho e com a receita de fabrico de pão caseiro para oferecer aos visitantes. A Casa do Forno será construída junto ao moinho de água e terá dois ateliers para crianças e adultos com sessões sobre o fabrico do pão, alimentação saudável, vegetariana, macrobiótica, entre outras.
As políticas ambientais contam com a implementação de mais ecopontos, sacos de lixo para os dejetos dos animais, criar estacionamento para bicicletas para promover uma maior limpeza e mobilidade sustentável.
O Parque Urbano do Rio Ul ficará mais dinâmico com a criação de vários painéis de sinalização e folhetos-mapa para mais informação e melhor acolhimento e de um livro com informações e ilustrações sobre a obra e a evolução do parque em colaboração com o seu arquiteto Sidónio Pardal.
Uma outra ideia é criação de fichas de descoberta virtuais para todos os níveis de ensino escolar. A exploração do Parque Urbano do Rio Ul estará literalmente nas mãos de cada um através da aplicação móvel "Smart Parque" que será desenvolvida em parceria com a Escola Secundária Dr. Serafim Leite.
O projeto inclui a plantação de árvores na parte Sul do parque depois de terem sido plantadas centenas, ou até milhares, de árvores no restante espaço e um programa de atividades apenas possível devido à colaboração existente entre o Município e as escolas, associações e instituições sanjoanenses.
O projeto prevê ainda a contratação de jovens ligados ao ambiente para que sejam os guias do Parque Urbano do Rio Ul e desta forma criar trabalho especializado.

Um projeto que permitirá às "pessoas viver ainda mais o seu parque nos tempos livres"

"O ambiente é um fator fundamental para a continuação de promoção de qualidade de vida", reconheceu Ricardo Figueiredo, presidente da CM de SJM, durante a apresentação do projeto de conservação e dinamização do parque.
O Parque Urbano do Rio Ul é "um espaço natural que acrescenta valor à cidade e qualidade de vida aos cidadãos" e "qualquer intervenção tem de ter o cuidado de não interferir com esta paisagem natural", esclareceu.
O equilíbrio entre a natureza e a construção de novos espaços "nem sempre é fácil", mas tem sido "algo conseguido com a Casa da Natureza, o café e o parque infantil", assumiu Ricardo Figueiredo.
O projeto de ampliação e de requalificação do Parque Urbano do Rio UL para Sul consiste em criação de "mais 650 metros de rio e de parque" aos 1.600 metros já existentes, adiantou o presidente da CM sanjoanense.
Uma das novidades é a criação de uma capela aberta para o exterior que "convida à meditação e à oração" que estará "mais à margem, mas permitirá ter uma vista sobre o parque", revelou Ricardo Figueiredo.
Este será um projeto que permitirá às "pessoas viver ainda mais o seu parque nos tempos livres", concluiu o Presidente da CM de SJM.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas