a informação essencial
Pub
Partilha

Associação Portuguesa de Museologia

Tags

Museu do Calçado recebe três prémios e uma menção honrosa

FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Associação Portuguesa de Museologia

O Museu do Calçado recebeu os prémios Inovação e Criatividade, Aplicação de Gestão e Multimédia, e Incorporação e uma Menção Honrosa de Melhor Museu do Ano da Associação Portuguesa de Museologia (APOM) 2017.
A cerimónia de entrega dos prémios APOM 2017 decorreu no dia 9 de junho no Museu Nacional Soares dos Reis.
Os prémios APOM 2017 receberam a candidatura de 132 museus portugueses. O Museu do Calçado recebeu três prémios, “dos quais muito se orgulha”, destaca o equipamento cultural sanjoanense.
O Prémio Inovação e Criatividade distinguiu o Museu do Calçado como “o mais inovador e criativo em todas as áreas da sua atividade, da investigação à incorporação, do inventário à conservação, da exposição ao serviço educativo, dos produtos da loja à comunicação”.
Por sua vez, o Prémio Aplicação de Gestão e Multimédia destaca a “qualidade dos produtos multimédia usados nas nossas exposições e que ajudam a contextualizar os seus objetos, promovendo e facilitando o conhecimento”, deu a conhecer o Museu do Calçado.
Já o terceiro e último prémio – Prémio Incorporação – elegeu “a integração de bens culturais no acervo do museu, referindo-se concretamente à incorporação da coleção de sapatos da empresa Lusolindo”, informou o equipamento cultural sanjoanense.
O Museu do Calçado recebeu ainda uma Menção Honrosa de Melhor Museu do Ano que o distingue como “instituição que preserva coleções representativas da identidade local, regional ou nacional, que contribui para o avanço do conhecimento da museologia, que contribui para o desenvolvimento social e equilíbrio ambiental, que promove a educação e formação de diferentes grupos sociais e que cumpre com todas as suas funções museológicas”, segundo o próprio.
Os prémios e a menção honrosa demonstram “o reconhecimento da qualidade do Museu do Calçado que resulta de uma aposta inequívoca do Município de S. João da Madeira na preservação do seu património, mas também do trabalho intenso e de grande qualidade técnica e científica da sua equipa e de todos quantos colaboram com o Museu do Calçado, de doadores a parceiros institucionais”, salienta o equipamento cultural sanjoanense.
O Museu do Calçado dedicou uma “palavra especial de agradecimento” ao designer João Borges pela colaboração no Projeto de Museografia; a Armando Oliveira pela representação da Coleção Lusolindo e às empresas Go Fox e EDIGMA pela criação das aplicações multimédia do equipamento cultural. A palavra de agradecimento foi estendida à APOM, ao Museu do Dinheiro pela eleição de Melhor Museu do Ano e aos colecionadores António Saint Silvestre, Richard Treger e Norlinda e José Lima pelo Prémio Colecionador e pela Menção Honrosa na categoria colecionador.

Cultura sanjoanense está “a impor-se a nível nacional”

As distinções atribuídas ao Museu do Calçado e às coleções Treger/Saint Silvestre e Norlinda e José Lima, patentes no Núcleo de Arte da Oliva, “mostram a cultura de S. João da Madeira a impor-se a nível nacional”, declarou Ricardo Figueiredo, presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira.
Elas são “o reconhecimento nacional do trabalho que estamos a fazer nos nossos museus e do trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos na consolidação das coleções Treger/Saint Silvestre e Norlinda e José Lima”, constatou Ricardo Figueiredo, deixando os “parabéns aos colecionadores”.    

Comentários

Pub

Notícias relacionadas