a informação essencial
Pub
Partilha

Câmara deverá ficar com a manutenção de jardins, árvores, higiene e salubridade. A junta continuará a intervir ao nível do Parque Canino e do parque infantil

Tags

“O parque não está nas condições que deveria de estar”

FOTO: Diana Familiar
//
Partilha

Câmara deverá ficar com a manutenção de jardins, árvores, higiene e salubridade. A junta continuará a intervir ao nível do Parque Canino e do parque infantil

O Parque de Nossa Senhora dos Milagres - seja pela limpeza, seja pelo estado de alguns equipamentos fruto da pouca ou falta de manutenção -, foi um dos assuntos mais badalados na Assembleia de Freguesia.
A primeira chamada de atenção foi dada pela munícipe Ana Couto. “Aproxima-se a Festa dos Milagres e o parque não está cuidado”, apontou, sobre o espaço verde mais antigo de S. João da Madeira. “Uma cidade dita moderna”, mas “com uma imagem tão triste”, reparou a munícipe.
Acerca do parque, “posso garantir que este mês (maio) vai ficar completamente limpo”, afirmou Helena Couto, presidente da Junta de Freguesia de S. João da Madeira, aos presentes. “Para a festa temos o parque todo limpo e o compromisso é de que vá ficar sempre assim”, acrescentou Helena Couto em resposta à munícipe.
A segunda chamada de atenção veio de António Belo, deputado do CDS em representação da coligação PSD/CDS, relembrando inclusive que a sua última intervenção na última Assembleia de Freguesia foi uma crítica à “falta de planeamento de intervenção” no Parque dos Milagres. Recentemente, o deputado centrista ao dar uma caminhada neste espaço verde ficou “chocado” com o que era e com o que é. Neste sentido, António Belo quis saber se Helena Couto já reuniu com Jorge Sequeira, presidente da câmara, para conversar sobre as competências afetas ao parque por parte dos dois órgãos que lideram. “Conto consigo e com a sua entrega no cuidado deste parque”, indicou o deputado da coligação PSD/CDS.
Ao longo de seis meses de mandato, “temos contado com a câmara municipal para resolver uma série de assuntos que quisemos ver resolvidos. Uma das situações é o Parque dos Milagres, outra é a das instalações”, afirmou Helena Couto. “Temos a perceção notória de que o parque não está nas condições que deveria de estar”, assumiu a presidente da junta de freguesia. Agora, para que o parque esteja nas condições em que deveria de estar é preciso pessoas e tempo. “Quantas pessoas e tempo para manter o parque limpo?”, questionou Helena Couto, admitindo que esta é uma de várias questões que precisam de ter a resposta adequada. A limpeza e a manutenção do Parque dos Milagres precisa de ver encontradas e implementadas “soluções sérias”, fruto de um “trabalho em conjunto” entre a junta e a câmara, indicou Helena Couto, algo que “sempre defendemos”. Para isso é preciso ver, rever e criar um protocolo “adequado às necessidades” do parque, esclareceu a autarca sanjoanense.
O presidente da câmara, Jorge Sequeira, viria a dar mais informação sobre o assunto, segunda-feira passada, na Assembleia Municipal, avançando que “a manutenção do Parque dos Milagres [em termos de jardinagem e de manutenção arborícola e de higiene e salubridade] deverá passar para a câmara, com uma intervenção em força dos nossos serviços de jardinagem”. Já a junta de freguesia continuará a intervir ao nível do Parque de Exercícios, Recreio e Passeio Canino, do parque infantil, entre outras coisas. ​

“Estratégia de limpeza” do parque ao fim de seis meses de mandato é “extremamente redutor”

O delinear de uma “estratégia de limpeza” do parque ao fim de seis meses de mandato é “extremamente redutor”, considerou Marco Fernandes, deputado da coligação PSD/CDS. Numa visita familiar ao parque detetou que a zona pedonal circundante tinha folhas, paus, entre outras coisas, a cancela que permite ou impede o acesso de carros a essa zona estava em baixo e levou à circulação de viaturas nessa zona destinada, na maior parte do tempo, para pessoas que queiram caminhar, correr, etc., gerando “um clima de insegurança”. Além disso, as casas de banho precisam de melhoria e deve ser ponderada a construção de sanitários para pessoas com deficiência, sugeriu Marco Fernandes, querendo “saber mais” da estratégia a ser delineada entre a junta e a câmara.
Para António Mendes, a junta de freguesia demonstraria “uma grande coragem” ao entregar a gestão do parque à câmara municipal. Uma vez que a junta sozinha “não tem capacidade para gerir o parque, constatou o deputado da CDU.

“O PSD, que esteve lá com o mesmo partido na junta e na câmara, nunca o resolveu”

“O parque sempre foi um problema difícil de resolver. Como prova disso temos o PSD, que esteve lá com o mesmo partido na junta e na câmara, nunca o resolveu. A junta sozinha nunca vai conseguir pôr o parque como deve de estar. Isso só pode ser feito com a força conjunta”, reagiu Helena Couto no fim da sessão em declarações à comunicação social.
Recordemos que o Parque de Nossa Senhora dos Milagres é propriedade da câmara municipal, mas a gestão e manutenção tem estado a cargo da Junta de Freguesia de S. João da Madeira. Por esta razão, Helena Couto, presidente da freguesia, pediu a Ricardo Figueiredo, presidente da câmara no mandato anterior, o cumprimento do protocolo de transferência de responsabilidade do Parque dos Milagres da câmara para a junta, assinado a 11 de outubro de 1996 pelos seus homólogos, na altura, Simplício Pinho e Manuel Cambra, respetivamente.

O site do Parque dos Milagres

O deputado socialista Daniel Pardal reforçou a informação de que existe um site do Parque de Nossa Senhora dos Milagres (https://www.parquensmilagres.pt), onde podem ser consultadas as espécies arbóreas existentes neste espaço verde.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas