a informação essencial
Pub
Partilha

Tags

“O(s) Selo(s)” contam histórias

FOTO: Diana Familiar
FOTO: Diana Familiar
FOTO: Diana Familiar
FOTO: Diana Familiar
FOTO: Diana Familiar
FOTO: Diana Familiar
Partilha

A exposição filatélica “O Selo” foi inaugurada no dia 9 de setembro, pelas 18h30, na Biblioteca Municipal Dr.º Renato Araújo.
Os colecionadores António Matias, Carlos Relvas, Elísio Pinho, Fernando Portal, José Nogueira e Manuel Ferreira deram a conhecer uma pequena parte dos seus raríssimos selos através desta mostra em S. João da Madeira.
Uma iniciativa louvável porque “faz falta fazermos coisas em conjunto no Entre Douro e Vouga”, começou por dizer Paulo Cavaleiro. Neste caso, a mostra reúne colecionadores dos concelhos de Vale de Cambra, Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira.
O vice-presidente sanjoanense dedicou “uma palavra especial” a Fernando Portal com quem aprendeu a “ter gosto pelos selos”. O médico, antigo diretor do Hospital de S. João da Madeira e da Assembleia Municipal, é dono de “uma fantástica coleção”, à qual dedica muito tempo.
O próprio Fernando Portal quando foi estudar para a escola Alexandre Herculano, no Porto, aos 15 anos, ganhou dois vícios: o da filatelia e o de fumar.
Nessa altura, tinha “meia dúzia de coisas, depois comecei a entusiasmar-me, faltava às aulas para ir aos correios à Batalha comprar os selos porque só existiam os envelopes e os carimbos especiais de primeiro dia, só nesse primeiro dia. Depois, iam para Lisboa”, recordou o médico aposentado ao labor.
A coleção dos primeiros selos era sobre Portugal Continental, depois ampliou, lentamente, a coleção ao Ultramar. Quando foi chamado a cumprir o serviço militar em Moçambique, direcionou a sua atenção para a coleção de Moçambique com o intuito de a completar o mais rápido possível.
O outrora jovem entusiasta da filatelia com apenas 15 anos, é hoje um médico aposentado de 75 anos e dono de uma coleção invejável de milhares de selos.
A filatelia tem “uma certa similitude com a caça porque obriga também a conhecer, a ter conhecimentos sobre o que se vai caçar. Neste caso, os selos, a espécie, o exemplar, a história”, descreveu Fernando Portal ao labor.
A coleção de selos é “um investimento, como tudo, desde que se tenha a cabeça em cima dos ombros”, afirmou o filatelista sanjoanense, confessando que “há selos que valem o triplo do valor que dei por eles”.
Enquanto a filatelia tem “um valor de curiosidade” para a juventude, “para mim tem um valor monumental. É uma vida”, confidenciou o médico que coleciona selos há 60 anos.
A vida de Fernando Portal pautou-se, regeu-se e condicionou-se toda, durante muitos anos, devido à sua atividade quer como médico, quer como médico-cirurgião, mais exigente ainda, quer nos últimos 19 anos de atividade como diretor do Hospital de S. João da Madeira.
Agora, ao fim de 42 anos de serviço, está reformado e passou a ter tempo disponível para dedicar-se a três paixões: “a minha mulher, os selos e a caça”, segredou Fernando Portal ao labor.
A inauguração da exposição contou ainda com a participação de cada um dos filatelistas a apresentar a sua coleção de selos aos presentes.
A exposição “O Selo” pode ser visitada até ao dia 30 de setembro na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas