a informação essencial
Pub
Partilha

“Concerto Ilustrado” foi uma das novidades, entre muitas, introduzidas por Helena Couto e Sofia Neto nas últimas três edições

Tags

10 Anos de encontros de ilustração

FOTO: Direitos Reservados
FOTO: Direitos Reservados
Partilha

“Concerto Ilustrado” foi uma das novidades, entre muitas, introduzidas por Helena Couto e Sofia Neto nas últimas três edições

Tendo a Sala dos Fornos como “palco” principal, encontra-se a decorrer em S. João da Madeira (SJM) a “festa da ilustração”. Desde o passado dia 3 de novembro e até amanhã que a cidade acolhe o 10.º Encontro Internacional de Ilustração (EII), evento organizado pela junta de freguesia (JF) que desde a sua sétima edição conta com a presidente Helena Couto e Sofia Neto na comissão organizadora.
Depois da sessão de abertura e de um fim de semana repleto de atividades com a participação de ilustradores de renome (Claudia Palmarucci, Daniela Iride Murgia, Davide Cali, Ivone Gonçalves, etc.) e de visitas às exposições guiadas pela “especialista” em ilustração Ana Jesus, o serão desta última terça-feira contou com o “Concerto Ilustrado”. Desta vez foi Sardinha Também é Peixe (ou STéP) a banda sanjoanense convidada para atuar na Casa da Criatividade enquanto alguns ilustradores ilustraram in loco os temas cantados.


STéP “dá espetáculo”
Em declarações exclusivas ao labor, o mentor deste projeto “sinónimo de versatilidade” referiu-se ao “Concerto Ilustrado” não como um mero concerto mas antes como “um espetáculo”, “aliciante para os ouvidos e os olhos”. Ao nosso jornal, o vocalista e guitarrista, André Barbosa, disse ainda terem aceitado o convite da JF de bom grado por se tratar de “uma iniciativa espetacular”.
Surgindo algures entre o ano 2014, nos confins remotos de um quarto universitário em Coimbra, STéP, que já tem um EP gravado (“Eh!”), não se limita a ser a uma banda composta por quatro elementos, apresentando-se também “como projeto a solo em formato acústico”.
Embora assente nos pilares do blues e do pop rock, o seu repertório contempla outros estilos, conforme adiantou ao labor o biólogo de 24 anos cujo “bichinho” da música lhe foi incutido pelos pais.
Durante os primeiros dois anos do STéP, André Barbosa tocou a solo em vários bares de Coimbra e Aveiro. Em julho último, a banda participou no Rodellus 2017, festival de verão realizado em Braga. E mais recentemente, há coisa de 15 dias, foi à final do CambraFest 2017 (Vale de Cambra).



Guia de S. João da Madeira em banda desenhada
Da autoria do arquiteto de Matosinhos João Valente, um guia de S. João da Madeira, composto por quatro fascículos, é o suporte ilustrado de divulgação de SJM deste ano. Recorde-se que a do ano transato foi o “Mapa Ilustrado de S. João da Madeira”, um desenho à vista, de 360 graus, feito a partir do cimo do Fórum Municipal por José Miguel Cardoso.
João Valente, que já fez algo parecido sobre o Porto, foi convidado pela JF para este “grande desafio” há cerca de seis meses. “Não estava à espera”, confessou ao labor, acrescentando que tal lhe exigiu não só “trabalho de campo”, mas também “muita pesquisa” sobre uma cidade que até então só conhecia de noite, por em tempos ter vindo tocar violino a alguns locais.
Direcionado para todas as idades, este trabalho de João Valente acerca de S. João da Madeira “é muito mais do que um guia, é uma companhia”, sublinhou o autor.


Sessão de encerramento hoje na Casa da Criatividade
A sessão de encerramento deste EII, subordinado ao tema “Trama” e que tem a Escola Ar.Co, de Lisboa, como instituição de ensino superior convidada, tem lugar hoje, pelas 21h30, na Casa da Criatividade. Além da atribuição dos prémios aos vencedores do concurso de ilustração, vai atuar a Banda de Música de S. João da Madeira.
No entanto, amanhã ainda há um workshop do ilustrador João Fazenda no Centro de Arte de S. João da Madeira, entre as 14h00 e as 17h00, seguido de uma sessão de autógrafos na Sala dos Fornos, das 17h00 às 17h30.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas