a informação essencial
Pub
Partilha

Entrevista a Fernando Sousa, candidato do BE à câmara municipal

Tags

“Não faz sentido a divisão administrativa que existe”

FOTO: Rui Guilherme
FOTO: Rui Guilherme
Partilha

Entrevista a Fernando Sousa, candidato do BE à câmara municipal

O alargamento do concelho é “estratégico e vital para o seu futuro", disse em julho ao labor. Referia-se ao alargamento apenas a Milheirós de Poiares?
E não só. Pelo menos a Milheirós de Poiares e a Macieira de Sarnes. Não faz sentido a divisão administrativa que existe. Tem 100 anos. A Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis tem 19 freguesias, a maior parte delas na periferia, e estão praticamente abandonadas. Estive na Junta (de Freguesia de Macieira de Sarnes) 20 anos e tinha grandes dificuldades em conseguir verbas porque era tudo gasto ou em Oliveira de Azeméis ou ali à beira. Era muito difícil. Embora se tenha feito obras importantes. Tem estruturas boas. Tem a escola que é uma das melhores do distrito, tem polidesportivo, tem uma sede de junta muito boa, só que não chega, falta dinamização.
Em Macieira há terrenos para fazer o que se quiser. Macieira está a morrer. Metade de Macieira está encostada e faz a vida em S. João da Madeira (SJM) que é a Pedra Branca e a Pedra Verde.
Não tirando uma discussão que deve ser feita na Assembleia da República para uma nova divisão administrativa em todo o país. A "Reforma Relvas" não resolveu nada. Na minha opinião, tem que haver uma nova divisão administrativa em todo o país.

O que é que a câmara poderia ter feito mais relativamente ao alargamento do concelhoa outras freguesias como Milheirós de Poiares e Macieira de Sarnes?
Um debate com toda a comunidade.

“S. João da Madeira quase não tem Lares para a Terceira Idade”

Disse que falta ambição aos políticos da câmara municipal, principalmente sobre o alargamento do concelho. E para mais o quê?
S. João da Madeira tem gasto dinheiro inutilmente. Veja o que se passa. A construção de um centro intermodal como se fosse o TGV, como se tivesse centenas de passageiros para passar para o Centro Coordenador dos Transportes. Aquilo está fechado e a degradar-se. A Praça é um desastre. Já lá vai perto de cinco milhões de euros. Isto é gastar dinheiro quando era preciso para outras coisas. Por exemplo, Lares da Terceira Idade. Já reparou que S. João da Madeira quase não tem Lares para a Terceira Idade? Há residentes idosos que estão a viver em lares em Oliveira de Azeméis e em Santa Maria da Feira. Eles aqui não têm resposta. Eles têm a Misericórdia que é muito boa, mas é para meia dúzia e nem sequer tem vagas para toda a gente. É uma outra coisa que é preciso fazer urgentemente.

E que mais?
Construir uma pista de atletismo. S. João da Madeira tem bons atletas no Campismo e nos Serviços Sociais. Era preciso uma pista que permitisse atividades mais desenvolvidas dentro do atletismo. Desporto escolar? Não há. Quer dizer há umas "coisinhas" dentro das escolas. Já há 40 anos estive na Alemanha e havia campos de futebol relvados quase em todas as vilas e cidades que eram disponibilizados com monitores, os alunos saíam das escolas iam lá treinar e voltavam para a escola. Aqui nada se faz. Acho que S. João da Madeira tem capacidade e dinheiro para fazer isso. Se não o estragar, como tem sido feito.

"Não tem sítio" para construir uma pista de atletismo

Onde poderia ser construída a pista de atletismo?
O problema é que não tem sítio em S. João da Madeira. Mas ela é necessária, é importantíssima. Se calhar até comprar um terreno. Por que não em Macieira, S. Roque, Milheirós? Para fazer uma pista.

O projeto de construção de novas piscinas municipais é urgente?
A construção de novas piscinas municipais é urgente. Não um spa de luxo como querem fazer com o Souto de Moura. Uma piscina olímpica e de lazer. Ter a competição e lazer. Eu vi o projeto e acho que aquele spa de luxo não serve S. João da Madeira.

Também falou na remodelação dos courts de ténis...
Exato. Outra desgraça. Nem conhecia. Fui buscar o meu neto que anda a jogar ténis e está tudo estragado e vandalizado.

Mencionou a falta de uma ligação, uma via rápida, à A1 e ao Hospital S. Sebastião.
Por aquilo que sei há um projeto para manter a estrada (Estrada Nacional 223), mas com duas rotundas que não vão resolver rigorosamente nada. Aquilo devia ter sido feito uma via rápida para o hospital e para a A1. Demora-se mais tempo a chegar a Santa Maria da Feira do que chegar de Santa Maria da Feira ao Porto.

S. João da Madeira precisa de melhorar os acessos?
Os pisos dos passeios em S. João da Madeira estão um desastre. A cidade precisa de ter melhores acessibilidades na periferia.

“O Hospital de S. João da Madeira devia de ter mais algumas valências para não deixar que tudo vá a correr para a Santa Maria da Feira”

Neste momento, o Hospital de S. João da Madeira foi reclassificado com Serviço de Urgência Básica. O que achou deste processo que levou a esta mudança na área da saúde?
Ridículo. Quando foi entregue à Misericórdia vi e ouvi a câmara a congratular-se com a entrega aos privados. E os mesmos senhores vêm congratular-se outra vez porque tinham mantido o Hospital de S. João da Madeira na esfera pública.
Penso que o hospital devia de ter mais algumas valências. O Hospital de Santa Maria da Feira está a rebentar pelas costuras. O Hospital de S. João da Madeira devia de ter mais algumas valências para não deixar que tudo vá a correr para a Santa Maria da Feira.

Qual a política de habitação social do BE?
O projeto da Habitação Social é um erro, um erro tremendo construir tudo no mesmo sítio. Isso já foi abandonado há anos em toda a Europa e até na América.
Primeiro, é preciso construir outra vez mais habitação. Depois, ver as rendas conforme a capacidade de cada um. Isso é que é fazer habitação social. Não é todos pagarem o mesmo quando uns podem e outros não podem.

TUS “devia ser estendido a outros concelhos”

O TUS deve ser revitalizado, disse ao labor. De que forma?
Acho que devia ser estendido a outros concelhos. Ele chega à Zona Industrial das Travessas e volta. Devia ir a Macieira. Paga-se dois euros por três quilómetros de Macieira a S. João. É muito dinheiro. E devia ter mais autocarros. Devia ir a Macieira, Nogueira e outros concelhos limítrofes.

Qual a solução para a Linha Vale do Vouga?
Para mim ou é requalificada ou acabem com ela de vez. Não é muito fácil eletrificá-la, fica por um dinheirão. Ou então um metro de superfície. Acho que seria melhor ligá-la pelo metro, mas fica à discussão. Como está é que não. Quem conhece a Europa sabe que não faz sentido nenhum ter um tipo de transporte destes.

Como definiria a atividade cultural sanjoanense?
Primeiro, a câmara deveria de ter uma pessoa só dedicada à cultura. Depois há muitas coisas para fazer tal como utilizar melhor as instalações da Oliva Creative Factory, dinamizar mais a Casa da Criatividade, fazer eventos de rua. Não há nenhum evento que marque S. João da Madeira.

“Ultimamente não há ambição nenhuma. S. João da Madeira está paralisada”

"Ter a possibilidade de, na câmara municipal, defender as ideias que tenho em relação à cidade, tornar a gestão da câmara mais transparente" levou-o a aceitar ser o candidato do BE, disse em julho ao labor. A gestão da câmara não é transparente?
Não é. Não se sabe muito. Não se sabe a dívida ao certo, não se sabe como se faz as obras. Por exemplo, a câmara tem um anteprojeto para a Praça, deitaram o Elemento Arquitetónico abaixo à pressa a dois meses das eleições, não se sabe porquê e não há um projeto definitivo para fazer aquilo.
E o betão que lá vão pôr vão arranca-lo outra vez porque o projeto é para refundar aquela zona, anda-se aqui a gastar dinheiro, andam à deriva.
Não é um defeito só de S. João da Madeira, mas de muitas outras câmaras por aí em diante. Acho que ultimamente não há ambição nenhuma. S. João da Madeira está paralisada.

Uma das lutas do Bloco será a municipalização da Águas de S. João?
Absolutamente. Um bem público como a água não pode ser de uma empresa privada para dar lucros. Não está de acordo com as necessidades da população e da cidade. A câmara tem de reverter esta questão mais tarde ou mais cedo.

O partido defende baixar a fatura da água. De que forma?
De acordo com os rendimentos de cada um. As pessoas não são todas iguais nem nunca terão os mesmos rendimentos. Portanto, é preciso diferenciar os preços desde que a empresa seja pública. Primeiro, é preciso fazer a reversão da gestão da água. Depois, o abaixamento da fatura. Isso é que é ter uma comunidade harmónica.

“O que poderá melhorar a Praça não será obras, mas pessoas”

Qual a sua opinião sobre o processo de revitalização da Praça?
A Praça está morta porque não tem gente. Eles podem fazer o que quiserem, já fizeram três ou quatro intervenções aqui e nada mudou. E esta obra também não vai mudar nada.
Não vejo que vá melhorar muito. Aquilo começou mal e continua mal. Já houve pelo menos três intervenções de fundo mal feitas, onde foi gasto muito dinheiro. Esta ainda não se sabe muito bem como vai ser. Ainda não há projeto de construção. Não sei quando vai a concurso. Mas isto mudou definitivamente. Revitalizar a Praça vai ser muito complicado. Não tem nada haver com as obras. As obras fazem-se, mas as pessoas não aderem. Se tivessem posto lá os serviços públicos, venda de rua...o projeto não me parece que vá mudar muito isso. Se em vez do Parque América tivessem feito ali um grande jardim...agora fechado a oriente com esse muro ainda por cima feio. Não estou muito compreensivo com a questão da nova Praça. Acho que altera arquitetonicamente porque aquilo que estava ali era um mamarracho feio...pode ficar mais bonita, mas atrair pessoas é uma incógnita. O que poderá melhorar a Praça não será obras, mas pessoas.

Como será possível alavancar o comércio tradicional?
Acho que será difícil porque desviaram tudo do centro da cidade. E a última machadada foi o centro comercial. A câmara até aqui nada fez para os ajudar, pelo contrário ajudou a enterrar. Ao autorizar a construção de um centro comercial por cima de uma rua, uma coisa inédita. O que interessava à Sonae era ligar o centro comercial ao supermercado. A câmara aceitou, foi conivente com isso. Desviou ainda mais as coisas daqui. Ainda há aqui alguns que resistem, mas não sei se será por muito tempo.

O que acha da questão do "Casqueira"?
Já devia ter sido resolvida há muito tempo. Agora com a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira porque a Câmara Municipal de S. João da Madeira não pode fazer nada por si só. Agora é um problema grave porque há dias em que não se pode estar em S. João da Madeira. Só um acordo poderá resolver o problema.

“Não tenho a veleidade de ganhar a câmara, mas se for eleito vereador vão ter de me ouvir”

O slogan do BE é "Na cidade como no país" - "A força do Bloco faz a diferença". De que forma fará a diferença em S. João da Madeira?
Se o Bloco for eleito fará a diferença. Se for eleito vereador vão ter de me ouvir. Vai sair para fora o que tiver de sair. Acho que a oposição nesse aspeto não tem feito um grande trabalho. Não divulga, o que a câmara faz ou não faz. Aí muda de certeza. Não tenho a veleidade de ganhar a câmara, mas se for eleito vereador vão ter de me ouvir.

O BE perdeu a representação na Assembleia Municipal nas últimas eleições autárquicas em 2013. O que seria um bom resultado?
É importante conseguir eleger uma voz para qualquer um dos órgãos autárquicos.

O partido como oposição será um parceiro político ou uma força de bloqueio?
Um parceiro político. Apoio aquilo que for bom e voto contra aquilo que achar que é mau, seja de quem for. Custe o que custar. Acho que a força de bloqueio não deveria funcionar em lado nenhum. O certo é que as eleições intercalares não resolveram nada.

“É muito mais complicado gerir uma junta de freguesia do que uma câmara”

Já foi presidente da Junta de Freguesia de Macieira de Sarnes durante vários anos. Como é gerir uma junta de freguesia?
É muito mais complicado gerir uma junta de freguesia do que uma câmara. Não tem funcionários, não tem dinheiro, não tem condições nenhumas. Enquanto uma câmara tem funcionários para fazer tudo o que quiserem, tem dinheiro, se não tem dinheiro pode contrair dívida, a junta não pode pedir dinheiro a ninguém. A junta de freguesia não tem autonomia para nada. As juntas de freguesia têm de andar sempre a mendigar. É uma situação muito complicada.

Qual a relação com o BE?
Sou um companheiro deles, mas não sou filiado e acho que nunca serei.

Se for eleito apenas vereador, assume o mandato até ao fim?
Sim. Sempre cumpri os meus compromissos, a não ser que tenha alguma limitação de saúde.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas