a informação essencial
Pub

PSD reunido depois de Ricardo Figueiredo recusar ser o candidato da coligação

FOTO: Diana Familiar
Partilha

A Comissão Política (CP) do PSD esteve reunida no dia 8 de junho depois de ter sido de conhecimento público a recusa de Ricardo Figueiredo, presidente da Câmara Municipal (CM) de S. João da Madeira (SJM), ao convite que lhe foi endereçado pela comissão, para ser o candidato da coligação PSD/CDS nas eleições autárquicas de 1 de outubro de 2017.
O conteúdo da reunião terá estado relacionado com a decisão de Ricardo Figueiredo e que leva a que tenha de ser escolhida outra pessoa para ser o cabeça de lista à CM de SJM da coligação.
Mas Paulo Cavaleiro, presidente da CP do PSD, nada nos adiantou sobre o conteúdo da reunião. Quando questionado com a possibilidade de ele próprio ser o candidato da coligação PSD/CDS ou de outro elemento ligado ao partido decidiu não prestar, para já, qualquer informação. “Não vou falar sobre esse assunto. Não vou falar sobre hipóteses”, disse Paulo Cavaleiro ao labor.
De acordo com fontes ligadas a ambos os partidos, a CP do PSD adiou para daqui a 15 dias a reunião que tinha marcada com o CDS-PP, de forma a que o PSD possa construir uma nova lista.
De acordo com fonte ligada à coligação, a lista à Assembleia Municipal (AM) e à Junta de Freguesia (JF) de SJM estarão concluídas. O candidato à JF ainda é desconhecido e a informação de que João Almeida será o candidato à AM não foi confirmada pela CP do PSD nem por Manuel Correia, líder do CDS de SJM. Neste momento, a única lista pendente será a da CM.
Recordemos que Paulo Cavaleiro comunicou que convidou Ricardo Figueiredo, presidente da CM de SJM, em nome da comissão política, para ser o candidato da coligação PSD/CDS, na reunião de plenário a 4 de maio. "Não há novidades sobre isso", disse Ricardo Figueiredo, depois de ter recebido o convite, ao labor.
Entretanto, Ricardo Figueiredo apresenta uma lista constituída pela equipa que o acompanha no executivo e com os mesmos lugares a que concorreu nas eleições intercalares de 24 de janeiro de 2016. A lista coligação PSD/CDS à CM de SJM nessas eleições era liderada por Ricardo Figueiredo, seguido de Miguel Oliveira, Dilma Nantes e Paulo Cavaleiro. Tendo sido estes os candidatos elegíveis.
O único problema da lista terá sido o facto de Paulo Cavaleiro estar em quarto quando queria o segundo lugar, segundo fonte ligada ao PSD. Apesar de alguns elementos da CP do PSD terem tentado convencer Ricardo Figueiredo a mudar a ordenação da lista, ele manteve a mesma posição nessa reunião, afirmou a mesma fonte ao labor.
Numa segunda reunião, Ricardo Figueiredo apresentou uma lista alternativa liderada por si, seguido de uma pessoa independente, Dilma Nantes e Paulo Cavaleiro. A segunda proposta também acabaria rejeitada pela CP do PSD de SJM.
Então, Ricardo Figueiredo recusa ser o candidato da coligação PSD/CDS e comunica a decisão aos órgãos de comunicação locais através de comunicado na semana passada.
Antes de ser de conhecimento público a decisão de Ricardo Figueiredo, Paulo Cavaleiro terá pedido o seu apoio para ser o candidato da coligação PSD/CDS.

“O PSD está a trabalhar num projeto vencedor”
“A pretensão do PSD este ano não era nem mais nem menos do que manter as regras que tradicionalmente o PSD tem vindo a aplicar”, informou a CP do partido através de comunicado depois de lhe termos colocado várias questões sobre este processo eleitoral.
A CP do PSD de SJM recorreu a atos eleitorais anteriores para justificar a sua posição.
“Nas eleições para a CM de SJM tem havido coerência na escolha dos sucessivos presidentes da concelhia do PSD para número dois da lista e vice-presidente da câmara. Foi assim em 2001, com o presidente do PSD, Rui Costa, a ser o número dois da lista e vice-presidente de Castro Almeida. Foi assim em 2005, novamente com o presidente do PSD, Rui Costa, a ser número dois da lista e vice-presidente de Castro Almeida. Foi assim em 2013, com o presidente do PSD, Miguel Oliveira, a ser número dois e vice-presidente de Ricardo Figueiredo”. O partido menciona também a “exceção” em 2009 porque “o presidente do PSD de SJM era Paulo Cavaleiro, que não poderia ser vice-presidente da câmara devido à sua eleição para deputado à Assembleia da República. Assim, nesse ano Ricardo Figueiredo foi o número dois da lista e Rui Costa foi o vice-presidente de Castro Almeida”, lê-se no comunicado.
Neste momento, “o PSD de SJM está a trabalhar num projeto vencedor, que os sanjoanenses reconheçam e que permita dar um novo impulso ao desenvolvimento da cidade e à qualidade de vida dos Sanjoanenses, como tem sido a nossa marca”, afirmou em comunicado enviado ao labor.
A CP do partido não prestou qualquer informação sobre os candidatos da coligação PSD/CDS à CM, AM ou JF ou as listas depois de questionada pelo nosso jornal.

Ricardo Figueiredo afasta hipótese de apresentar candidatura independente
Apesar dos acontecimentos, "não está totalmente descartada a possibilidade de Ricardo Figueiredo ser o cabeça de lista da coligação PSD/CDS", acredita um militante do PSD. "Sei que outros tentaram, mas não conseguiram". Mesmo assim "vou insistir com Ricardo Figueiredo para ser o candidato natural do PSD", assumiu a mesma fonte ao labor.
Se pudesse ter escolhido a sua equipa, voltaria atrás na decisão e aceitava ser o candidato da coligação PSD/CDS, questionamos Ricardo Figueiredo. A resposta foi "não vejo como com esta concelhia. Tenho o apoio da Distrital do PSD de Aveiro e do PSD a nível nacional, mas a CP do PSD mesmo sabendo disso persistiu na sua ideia". Por agora "temos de ver o que a concelhia vai fazer", disse Ricardo Figueiredo ao labor.
A possibilidade de apresentar uma candidatura independente não existe. "Não, não há essa possibilidade", garantiu o presidente da CM de SJM.
O empresário Ricardo Figueiredo foi candidato independente pelo PSD às eleições autárquicas de 2013 e o candidato da coligação PSD/CDS nas eleições intercalares de 2016. Venceu as eleições autárquicas de 2013 com maioria relativa (PSD elegeu 3, PS 3 e SJM Sempre 1) e venceu as eleições intercalares de 2016 em nome da coligação PSD/CDS-PP com maioria absoluta (PSD 4 e PS 3). Foi o número dois da lista de Manuel Castro Almeida às autárquicas de 2009, foi eleito vereador, função que desempenhou até 2013, com responsabilidades nas áreas da Juventude, Ambiente, Turismo, Economia, Empreendedorismo e Inovação.


Ricardo Queirós demitido do cargo de adjunto do presidente

O nosso jornal também teve conhecimento de que Ricardo Figueiredo demitiu Ricardo Queirós do cargo de adjunto do presidente da CM de SJM na sexta-feira passada, dia 9 de junho. "O cargo dele era adjunto do presidente da CM que é um cargo de confiança política. Portanto, é claro para todos que se o adjunto pretende manifestar uma opinião política diferente do presidente da CM, deve demitir-se e só depois fazê-lo", declarou Ricardo Figueiredo. "Ele expressou uma opinião política contrária à minha nas duas reuniões que tive com a CP do PSD restrita" antes de recusar o convite para ser o candidato da coligação PSD/CDS. Depois disso, "esperava que se demitisse porque é incompatível", contou o presidente da CM de SJM ao labor. Entretanto, "fiz o comunicado, esperei que refletisse quinta e sexta e depois apresentasse a demissão". Como "não o fez", "exonerei-o" no dia 9 de junho, confirmou Ricardo Figueiredo.
O presidente da CM de SJM esclareceu ainda que "nada tenho contra o facto de ter opinião política diferente", mas "não pode ser adjunto". Até porque "se o PSD/CDS convida alguém para ser o candidato deve ter confiança nessa pessoa”, rematou Ricardo Figueiredo ao labor.
Por sua vez, Ricardo Queirós, respondeu: “Ao longo de 16 anos tive o privilégio de trabalhar com dois presidentes de câmara e a oportunidade de fazer parte de uma equipa que foi uma referência na vida política na cidade. Foram anos de intensa dedicação à câmara e à causa pública e de realização pessoal e profissional. Agora está na hora de me dedicar a outros projetos”, depois de contactado pelo labor. 

Comentários

Pub

Notícias relacionadas