a informação essencial
Pub
Partilha

Em sessão inédita, que teve lugar no auditório dos Paços da Cultura “a rebentar pelas costuras”

Tags

Organização do Festival de Teatro homenageou grupos participantes

FOTO: Direitos Reservados
FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Em sessão inédita, que teve lugar no auditório dos Paços da Cultura “a rebentar pelas costuras”

Ao fim de 17 dias e 21 momentos de representação que aconteceram, maioritariamente, na Casa da Criatividade, secundada pelos Paços da Cultura e pelo chão da fábrica CEI - Companhia de Equipamentos Industriais, terminou mais um Festival de Teatro de S. João da Madeira (FTSJM).
Inaugurada com “Crise no Parque Eduardo VII”, a 13 de abril, e encerrada com “Mais respeito que sou tua mãe”, a 5 de maio, esta última peça com lotação esgotada, a “12ª edição [do FTSJM] reafirmou-se como a festa sanjoanense em redor do teatro”, segundo palavras das professoras do Espaço Aberto.
Em declarações exclusivas ao labor, as docentes que estiveram na génese deste projeto do Agrupamento de Escolas (AE) Dr. Serafim Leite que, juntamente com a autarquia e a comunidade local (escolas, associações/instituições e até uma empresa) tem organizado o evento, referiram que este último FTSJM “foi inundado pelo entusiasmo, empenho, dedicação, zelo, brio, que traduzem um trabalho que tem vindo a apurar-se, elevando o festival ao lugar que já ocupa na agenda cultural que extravasa o nível local”. Ao todo, participaram 18 grupos de teatro e assistiram às peças mais de cinco mil espetadores.
De acordo com a organização, pôde-se “testemunhar uma comunidade de mãos dadas com a cultura e a educação, sentindo o teatro como arte que nos aproxima”. Aliás, “o que marca definitivamente este festival, na sua 12ª edição, é a transversalidade, a entrega e a tenacidade como transformadores de cidadãos que querem fazer caminho no pensar e no agir com responsabilidade direcionada pela e para a dignidade humana”, acrescentaram Cristina Reis e restantes membros do Espaço Aberto.


“Festival é para continuar. O horizonte é a eternidade”
Não é que em outros anos os grupos participantes também não tenham sido distinguidos, mas o FTSJM de 2018 diferenciou-se dos demais pela cerimónia de entrega de troféus aos “encenadores de serviço” nesta edição, que teve lugar nos Paços da Cultura, na passada sexta-feira. A ideia partiu do Município, através da sua Divisão de Cultura, e foi prontamente acolhida pelo Espaço Aberto.
Esta sessão inédita iniciou-se com um pequeno vídeo que mostrou imagens das diferentes peças levadas à cena, agradecendo a todos os que contribuíram para o Festival de Teatro, quer no palco, quer nos bastidores.
Seguiram-se, entretanto, as intervenções da diretora do AE Dr. Serafim Leite, Anabela Brandão, e do presidente da câmara.
Por falar em Jorge Sequeira, o edil sanjoanense começou por homenagear as fundadoras do Espaço Aberto e todos os outros que “asseguraram a continuidade do projeto ao longo de 12 anos, bem como a sua grande e notável qualidade”. Em seu entender, o FTSJM é “um feito extraordinário da nossa cidade, da nossa comunidade e, em especial, da nossa comunidade educativa”, daí, na ocasião, não ter poupado elogios “aos professores de S. João da Madeira”.
O líder autárquico também destacou o “envolvimento da comunidade”. “O território do Festival de Teatro não se limita à escola, estendendo-se à CERCI, ao Trilho, às empresas”, concretizou, salientando, de seguida, “a originalidade dos guiões”: “os nossos encenadores criam peças originais e através desta atividade enriquecem o património cultural e estético do próprio país, que podem depois ser interpretadas em outras dimensões e territórios”.
De acordo com o responsável político, o FTSJM é ainda “amigo do público”. “O preço de acesso é absolutamente simbólico [algo só possível com trabalho voluntário], o que é muito importante para a democratização da cultura”.
Por estas e por outras razões, Jorge Sequeira concluiu: “estamos num processo sem retorno. O festival é para continuar. O horizonte é a eternidade. O Espaço Aberto vai continuar aberto”.



Secretária de Estado da Indústria assiste a "Os Fabricantes"


Depois da representação do dia 26 de abril, “Os Fabricantes” regressou ao chão da empresa CEI - Companhia de Equipamentos Industriais na quinta-feira da semana passada. Do lado do público, para ver a peça de teatro levada à cena pelo grupo AceiTe no âmbito do Festival de Teatro de S. João da Madeira, estiveram várias figuras ligadas à política, entre as quais a secretária de Estado da Indústria, Ana Lehmann, e o presidente da câmara municipal, Jorge Sequeira.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas