a informação essencial
Pub

“Temos de trazer outros para esta luta de educação com educação”

FOTO: Diana Familiar
Partilha

O 42.º Encontro Nacional de Associações de Pais realizou-se pela primeira vez, no dia 21 de outubro, nos Paços da Cultura em S. João da Madeira (SJM).
O tema “o perfil do aluno – acesso ao ensino superior” é uma das peças “cada vez mais fundamental para enfrentar os desafios exigentes” na área da educação, começou por evidenciar Ricardo Mota, presidente do conselho fiscal da FeCAP (Federação Concelhia das Associações de Pais de S. João da Madeira) que desempenha um papel fulcral na representação e na formação dos encarregados de educação e dos responsáveis de turma.
A FeCAP “quer ser um parceiro a ser tido em conta” no domínio educativo pela Câmara Municipal (CM) de SJM e que essa parceria “dê frutos no futuro”, assumiu Ricardo Mota, perante os elementos do novo executivo empossado na semana passada.
Assim sendo, de todas as associações de pais podem esperar “parceiros leais, mas frontais com outras entidades das quais divergirmos”, admitiu Ricardo Mota, terminando com a certeza de que aquele seria e foi “um momento de convívio porque no fundo é a amizade que nos move neste contexto”.
Para Jorge Ascensão, presidente do conselho executivo da CONFAP, é preciso refletir sobre o tema do encontro. Mas antes de chegarmos ao aluno, ao ensino superior e à pessoa formada é preciso através da educação “preparar” as crianças que mais tarde se tornam em cidadãos para um sistema sem vítimas de incêndios e, “mais importante, lutarmos para que não aconteçam por mão humana”, salientou depois de pedir um minuto de silêncio.
Atualmente, “estamos muito centrados na economia, no défice e no orçamento que é muito importante, mas vamos perder se não apostarmos seriamente na educação, envolvendo a família e depois as escolas”, alertou Jorge Ascenção.
Muitas das associações de pais, constituídas por encarregados de educação e representantes de alunos, “olharam para o tema e pensaram: isto não é para mim” e “isto mexe comigo porque é verdade. Muitas famílias pensam que o que está para lá do portão não deve ser para nós”. Mais uma vez é preciso “refletir muito sobre isto”, frisou o presidente do conselho executivo da CONFAP
Há todo “um trabalho muito difícil de fazer, demora muito tempo e temos de ser muito resilientes”. Essencialmente “temos de trazer outros para esta luta de educação com educação”, concluiu Jorge Ascenção.

Tudo o que temos pode ser “confiscado, expropriado e furtado, menos a educação”
A intervenção de Jorge Sequeira, presidente da CM de SJM, começou precisamente com a questão dos incêndios que marcaram brutalmente este ano o país.
“Um amigo, vítima de um incêndio, perdeu todos os pertences dele e da família. Fui ter com ele. Ele disse-me: Sabes Jorge o que me resta neste momento? A educação”, começou por dizer o presidente do município sanjoanense.
Tudo o que temos pode ser “confiscado, expropriado e furtado, menos a educação. É, por isso que é o bem mais precioso”, reforçou Jorge Sequeira, considerando “o investimento na educação” como “o investimento de uma vida”.
A educação foi precisamente a bandeira eleitoral da candidatura socialista de Jorge Sequeira às eleições autárquicas realizadas a 1 de outubro. O seu programa eleitoral para a área da educação prevê a criação de uma Assembleia Municipal Jovem, um Erasmus Municipal, um Balcão de Troca de Manuais Escolares, a implementação de uma hora de educação física por dia para todos os alunos do 1.º ciclo e introduzir o voluntariado nas Atividades de Enriquecimento Curricular.
Entre as atividades educativas do município sanjoanense, o novo presidente destacou as Jornadas da Educação que são realizadas no início de cada ano escolar sempre com temas essenciais à educação e aos educadores.
Jorge Sequeira reconheceu que a cidade sanjoanense apresenta “um bom parque escolar edificado”, mas “não estou satisfeito com o espaço para a prática de Educação Física nas escolas primárias”.
“A educação sempre foi uma prioridade em SJM e vai continuar a ser”, afiançou o presidente da câmara.
As últimas palavras de Jorge Sequeira foram dirigidas a todos os pais presentes. “Pais muito empenhados” que espera que “continuem a lutar pela educação e a partirem a cabeça aos políticos”.


“Espaço de diálogo aberto, isento e independente”
O 42.º Encontro Nacional de Associação de Pais contou com momentos musicais e um momento cénico, proporcionados por alunos dos três agrupamentos de escolas sanjoanenses (Dr. Serafim Leite, João da Silva Correia e Oliveira Júnior).
Os oradores dos painéis foram Ariana Cosme, da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, Helena Resende, do Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite, e Adelino Calado, do Agrupamento de Escolas de Carcavelos.
O encerramento coube a Vítor Couto, presidente da FeCAP, com o agradecimento a cada um dos presentes e a cada uma das pessoas que contribuíram para a realização do encontro.
Os participantes tiveram a oportunidade de estar num “espaço de diálogo aberto, isento e independente” e, acima de tudo, uma vez mais, “abdicaram do seu tempo para o dedicar às nossas crianças e jovens”, concluiu Vitor Couto.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas