a informação essencial
Pub
Partilha

“Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos” é o tema deste ano

Tags

S. João da Madeira comemora Dia Internacional dos Museus

FOTO: Direitos Reservados
Partilha

“Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos” é o tema deste ano

Com esta temática, o ICOM (International Coucil of Museums) “pretende salientar a ideia de ‘hiperconectividade’ referindo-se, desta forma, aos modos múltiplos de comunicação dos nossos dias”, começou por explicar ao labor a chefe de Divisão de Cultura da câmara municipal a propósito das comemorações deste ano do Dia Internacional dos Museus (18 de maio).
“Num mundo hiperconectado, como é o nosso, os museus juntam-se a esta tendência, sendo impossível compreender o papel dos museus sem ter em conta todas as conexões que protagonizam e possibilitam”, prosseguiu Suzana Menezes, acrescentando, no entanto, que “mais do que salientar a ideia de conexão digital”, “este tema pretende evidenciar outros níveis de conexão que são estimulados pelos museus, nomeadamente  com a comunidade local, através do desenvolvimento de projetos ou iniciativas direcionados a essa mesma comunidade”.
Assim, para os próximos dias, o Museu da Chapelaria e o Museu do Calçado, em S. João da Madeira, propõem “atividades e visitas temáticas que irão pôr em evidência a importância e significado da conectividade social baseada nas nossas comunidades de referência”, adiantou a responsável, destacando do programa comemorativo as visitas temáticas com chapeleiros e sapateiros, o já tradicional e muito emblemático espetáculo “O Último Turno” e o “Chá das 5, do Chapeleiro Maluco”.

Visitas gratuitas dias 18 e 26

Celebrando o Dia Internacional dos Museus e procurando pôr em evidência as conexões humanas que alimentam os dois espaços museológicos, o Museu da Chapelaria e o Museu do Calçado sugerem esta sexta-feira um conjunto de visitas gratuitas realizadas por antigos chapeleiros e sapateiros sanjoanenses que apresentarão a sua visão pessoal sobre as duas indústrias que moldaram a história e a identidade da cidade. Histórias contadas na primeira pessoa, pela voz daqueles que fizeram parte da História, às 11h00 e às 15h00.
Inscrições prévias obrigatórias em museu.chapelaria@gmail.com ou pelo telefone 256  200 206.
Ainda no âmbito das celebrações do Dia Internacional dos Museus, e no mesmo horário, estão agendadas para 26 de maio visitas guiadas temáticas - também gratuitas e com marcação prévia - aos Museus da Chapelaria e do Calçado, procurando explorar as diferentes dinâmicas de conexão dos museus, seja em termos digitais, seja através das conexões sociais estabelecidas, por exemplo, com as comunidades de chapeleiros e sapateiros sanjoanenses.

Sábado há jantar temático e “O Último Turno"

Este sábado, 19 de maio, a partir das 19h30, o restaurante do Museu da Chapelaria, Fábrica dos Sentidos, proporciona um desconto de 10% a todos os clientes que venham jantar com um chapéu posto na cabeça.
Entretanto, às 21h30, o Museu da Chapelaria e do Calçado voltam a abrir as suas portas ao “O Último Turno”. Procurando reunir, num único espetáculo, o momento em que a indústria da chapelaria e a do calçado “se encontram” e coincidem na história da cidade, “O Último Turno” é dedicado aos principais acontecimentos sociais, políticos, culturais, desportivos e económicos de S. João da Madeira nas décadas de 1960 e 1970.
Que cidade era S. João da Madeira há quase 60 anos? O que movia as suas gentes? O que as preocupava ou deleitava? Quem eram os sanjoanenses de então? Partindo destas perguntas e da investigação histórica produzida por ambos os museus a propósito dessa década, grupos de teatro e coletividades locais, e não só, vão encenar histórias baseadas em factos verídicos.
Este ano, entram em cena os grupos A Bem Dizer, Anim'arte, Artes do Palco, É Bom Viver, Lua Nova, Rostos e Máscaras e TOJ, havendo ainda a participação especial d’ Os Clave.

Festa dos museus prossegue no domingo

No domingo, durante a manhã, há “Peddy Paper com Pés e Cabeça”, uma atividade gratuita mediante inscrição prévia até dia 18 que vai decorrer no Museu da Chapelaria e no Museu do Calçado. Pistas, umas verdadeiras e outras falsas, vão conduzir as equipas participantes ao longo de um percurso mágico. Usar os pés e a cabeça é obrigatório.
Ainda no mesmo dia, pelas 16h00, o Museu da Chapelaria vai receber o Chapeleiro Maluco, da Alice no País das Maravilhas, e a sua louca festa do chá. Mas, antes desta, os convidados vão ter que se preparar para se tornar os personagens desta louca história de encantar. Mais uma iniciativa gratuita mediante inscrição prévia obrigatória (até dia 19).

Núcleo de Arte associa-se às comemorações

Do Dia Internacional dos Museus

Em nota de imprensa enviada ao labor, o Núcleo de Arte da Oliva (NAO) convida os sanjoanenses e gentes de outras paragens a participarem no programa comemorativo do Dia Internacional dos Museus, 18 de maio, que se prolonga pelo fim de semana. A entrada é gratuita, tal como a participação nas visitas orientadas e oficinas.
Assim, para os dias 18 (12h00 e 16h00), 19 (11h00 e 17h00) e 20 (15h00) estão agendadas visitas orientadas à exposição “Histórias de Violência: Um Diálogo entre Obras da Coleção Treger/Saint Silvestre”. Entre os mais de 50 artistas em destaque, grandes clássicos de arte bruta como Henry Darger e Friedrich Schröeder Sonnenstern e da arte contemporânea como Robert Combas ou Gonçalo Mabunda,  esta mostra apresenta pinturas, esculturas, desenhos da Coleção Treger/Saint Silvestre em diálogo com obras de outras coleções como a Coleção Norlinda e José Lima ou a da galeria Christian Berst. 
Também para esta sexta-feira, 18 de maio, às 10h30 e às 15h00, tem lugar no NAO a oficina artística - Arte Bruta?, sob orientação de Constança Araújo Amador. Com duração entre 60 a 90 minutos, esta atividade destina-se ao público escolar do 1º ciclo.
No sábado, das 15h00 às 17h30, há oficinas para famílias - “Ocupação Oliva: máquinas a trabalhar e artistas XS a criar”, das 15h00 às 17h30, concebidas e orientadas pela Talkie Walkie.
As oficinas são criadas para uma participação livre e espontânea onde todos os elementos participam: avós e netos, pais e filhos, irmãos, tios e sobrinhos. O Núcleo de Arte convoca todos a ocuparem o pátio da antiga fábrica e as salas de exposição para relembrar e ativar a memória da indústria e os processos criativos.
Ainda no dia 19 decorre na Oliva o Bazar da Primavera.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas