a informação essencial
Pub
Partilha

Poesia à Mesa prossegue hoje e amanhã, respetivamente, com o filme “Al Berto” e o concerto da fadista Aldina Duarte

Tags

Diogo Piçarra reinventa-se em Pessoa

Partilha

Poesia à Mesa prossegue hoje e amanhã, respetivamente, com o filme “Al Berto” e o concerto da fadista Aldina Duarte

Ontem, dia 7, Diogo Piçarra encheu a Casa da Criatividade, por duas vezes, no âmbito da 16.ª edição da Campanha Poesia à Mesa que homenageia, entre outros poetas, o ilustre Fernando Pessoa.
Em S. João da Madeira, o jovem músico português deu a conhecer a centenas de alunos e também ao público em geral “Diogo Piçarra em Pessoa”. Trata-se de um projeto criativo de descoberta, reinvenção e reconstrução da obra de Pessoa e sua heteronímia, da sua autoria, que inclui, além da edição de um livro em que o cantor se reinventa em Pessoa e seus heterónimos, apresentando uma reconstrução de 20 poemas pessoanos, tendo por base as suas próprias vivenças e as vivências dos seus heterónimos (de Piçarra), a exibição de uma peça de teatro e a adaptação musical de dois poemas do dito livro (um poema original de Pessoa e a reconstrução do mesmo feita por Piçarra).
Na “cidade do labor”, esta última quarta-feira, Piçarra explicou como nasceu o seu projeto e descreveu-o, falando também da sua relação com a escrita e com o estudo de Fernando Pessoa, na altura em que estudou o poeta. Na ocasião, leu também quatro poemas do livro “Diogo Piçarra em Pessoa” (dois de Pessoa e dois de Piçarra) e cantou dois poemas musicados.
Ainda a propósito, destaque para a apresentação de uma dramatização teatral a partir do livro, em que um ator faz de Piçarra e outro de Pessoa.
O labor tentou junto do artista saber mais pormenores sobre “Diogo Piçarra em Pessoa”, mas tal não foi possível até ao fecho da presente edição.

Programa continua com cinema e fado

Homenageando também os poetas Violeta Figueiredo, Pedro Homem de Mello, Golgona Anghel, José Tolentino Mendonça, Mário Quintana e Camilo Pessanha, a Poesia à Mesa prossegue hoje, dia 8, pelas 21h30, nos Paços da Cultura, com o filme “Al Berto” apresentado no contexto do Cine S. João.
Falamos de um drama biográfico que relata um período da vida de um dos mais carismáticos poetas portugueses da segunda metade do século XX, Al Berto, e que conta com a participação de Ricardo Teixeira, José Pimentão e Raquel Rocha Vieira. A realização e o argumento são de Vicente Alves do Ó.
Esta sexta-feira, às 22h00, na Casa da Criatividade, Aldina Duarte, considerada uma das grandes personalidades do fado contemporâneo, dá a ouvir o seu novo álbum “Quando se Ama Loucamente”. Os bilhetes estão à venda nos Paços da Cultura ou em https://www.bol.pt/Comprar/Bilhetes/58722-aldina_duarte-casa_da_criatividade (preços: cadeiras de orquestra - 7,50 euros; plateia - 7,50 a 8,50 euros; 1.ª varanda - 6,50 euros; 2.ª varanda - 5 euros).

“Tabacaria, de Fernando Pessoa” na Casa da Criatividade

No sábado 17 de março, novamente na Casa da Criatividade e às 22h00, a Poesia à Mesa traz pela primeira vez a S. João da Madeira a ópera de câmara “Tabacaria”, uma adaptação inédita do poema de Álvaro de Campos, para barítono, soprano e ensemble. A estranheza da existência e a incompreensão do real são os temas centrais desta abordagem contemporânea a um dos mais belos poemas de sempre, escrito em 1928 por aquele heterónimo de Pessoa.
21 de março é dia de Tertúlia dos Poetas Sanjoanenses (na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo, pelas 18h00) e do espetáculo “Pessoas de Fernando”. Em relação a este último, marcado para as 21h30 nos Paços da Cultura, consiste num projeto baseado em textos de Pessoa, cuja performance ao vivo transporta para o palco o conteúdo de um álbum conceptual, em que todos os poemas surgem fundidos com ambientes sonoros e musicais ou sob a forma de canção.
Na quinta-feira, 22 de março, tem lugar na Biblioteca Municipal (BM) o lançamento do terceiro livro de poesia de Fábio M. Silva. “Nu meu peito” revela uma nudez visceral onde o jovem autor aceita o caos e o desassossego como um meio para se entender e construir, enquanto se entorna e torna poema.

Peregrinação Poética com Filipe Vargas na Praça

Tida como um dos maiores momentos de construção comunitária da Campanha Poesia à Mesa, a Peregrinação Poética, desta vez com o ator Filipe Vargas como convidado especial, tem como palco a Praça Luís Ribeiro.
Agendada para as 22h00 do dia 23, conta com as performances poéticas da APROJ, na estação poética de Tolentino de Mendonça; Associação Cultural Luís Lima e Fugas Poéticas (Camilo Pessanha); CERCI (Mário Quintana); Associação de Jovens Ecos Urbanos (Pedro Homem de Mello); TOJ (Golgona Anghel); e Universidade Sénior do Rotary Club (Violeta Figueiredo). A coordenação fica a cargo dos comissários Paulo Condessa e José Fanha e a animação de rua é da responsabilidade do grupo Anima Dixie.
No sábado seguinte, pelas 22h00, na Casa da Criatividade, há Serão Poético, reunindo dois nomes maiores da música portuguesa: António Manuel Ribeiro (UHF) e Sérgio Castro (Trabalhadores do Comércio). Num serão informal, conduzido por José Fanha e Paulo Condessa, a música e a poesia ganham forma e é com emoção que estas grandes figuras do panorama cultural partilham com o público os seus dotes musicais e de declamação.
A 12 de abril, último dia da Poesia à Mesa, pelas 18h30, a BM recebe a cerimónia de entrega de prémios do concurso Poesia na Corda 2018.

Poesia à Mesa vai ainda às escolas, restaurantes e fábricas

Ao longo da semana de 12 a 16 de março, as escolas de 1.º ciclo recebem oficinas poéticas. No âmbito desta iniciativa, um performer lê poemas de forma pouco habitual, com toda a liberdade, usando a voz, o corpo, o ritmo e outras subtilezas e criando lugar para que a experimentação aconteça.
Na semana seguinte, entre os dias 19 e 23, os restaurantes Tudo aos Molhos, Neptúlia Bar, Oliva Palito, Bacana, Ponto Zero, Mutamba, River, Bonzão, Harpa, Fénix, Aconchego do Quintal e Fábrica dos Sentidos vão receber, à hora de almoço ou jantar, declamações e performances poéticas levadas a cabo por Paulo Condessa e diversos grupos de teatro que participam na Peregrinação Poética.
Nota ainda para o facto de na mesma semana as empresas Helsar, Bulhosas, Evereste, Viarco e Heliotêxtil, bem como a Academia de Design de Calçado, também abrirem as suas portas à Poesia à Mesa. Entre máquinas e ferramentas, a poesia acontece pela voz de Paulo Condessa.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas