a informação essencial
Pub
Partilha

Cerca de 160 participantes contribuíram para a construção do Lar Residencial

Tags

Passeio BTT Solidário afirma-se como evento concelhio

FOTO: Direitos Reservados
FOTO: Direitos Reservados
FOTO: Direitos Reservados
FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Cerca de 160 participantes contribuíram para a construção do Lar Residencial

O dia 9 de julho começou cedo para a organização do Passeio BTT Solidário – Cerci S. João da Madeira com a organização a montar toda a logística necessária para a quinta edição do evento, que por volta das 09h00 da manhã tinha cerca de 160 betetistas alinhados na linha de partida localizada junto à Câmara Municipal da cidade
A iniciativa, onde os resultados desportivos não têm qualquer relevância, acabou por se revelar mais um sucesso, apesar de alguns receios iniciais. “Estávamos à espera de um decréscimo acentuado no número de inscrições porque no mesmo dia haviam várias provas ao nível nacional de BTT e de ciclismo, uma delas era perto da nossa”, explica Sandra Oliveira, um dos elementos responsável pela organização do evento.
Contudo, ao longo da última semana e até no próprio dia da prova os participantes demonstraram o seu lado solidário com o evento a atingir as 160 inscrições, número que trouxe alguma tranquilidade à organização, que admite que este ano foram “ultrapassadas as expetativas”. “O balanço é muito positivo”, confessa Sandra Oliveira.
A diminuição do valor inicial de 15 para 10 euros terá, segundo a organizadora, ajudado a alcançar este número de participantes, mas não foi decisivo. “Acho que ajudou, mas muitas pessoas diziam que não era pelos 15 euros que deixariam de participar no passeio”, refere Sandra Oliveira que, no entanto, confessa que a organização teve algum receio quando o valor inicial foi divulgado. “Haviam alguns comentários muito desagradáveis que achavam que com esse valor não era ser solidário. Entretanto surgiram alguns patrocínios que nos ajudaram a fazer face às despesas e que nos permitiu baixar o valor para os 10 euros”, explica Sandra Oliveira. “Este ano tivemos, pela primeira vez, uma despesa que não era normal, mas que agora é obrigatória, com a PSP e restantes forças de segurança”, acrescenta a responsável, que, nesse aspeto, destaca a ajuda da autarquia sanjoanense. “Se não fosse o apoio da câmara municipal não teria sido possível fazer a prova”, garante.
Apesar das falhas que se vão verificando, a organizadora considera que a recetividade ao evento tem sido extremamente positiva e acredita que o sucesso da primeira edição, realizada em 2012, e que contou com mais de 220 inscritos, foi fundamental para o crescimento do passeio. “Acho que foi isso que fez o evento andar nos anos seguintes. A partir daí também fomos aprendendo e fazendo melhor”, explica Sandra Oliveira, que aponta algumas situações que necessitam de ser revistas para a próxima edição, que já está agendada para 1 de julho de 2018. “Os percursos foram definidos com três ou quatro dias de antecedência, mas quando se voltou a passar por alguns locais a marcação tinha desaparecido. O ideal seria fazer isso mais próximo do dia da prova, mas é complicado porque são muitos quilómetros”, sublinhou a organizadora, que destacou o apoio prestado pelos patrocinadores, voluntários, PSP e Bombeiros.
A iniciativa, organizada pela Cerci, em colaboração com a Câmara Municipal, a PSP e a empresa Hélio&Vítor Design, teve este ano como objetivo a angariação de fundos para a construção do Lar Residencial.

Tags

Mais notícias

Comentários

Pub

Notícias relacionadas