a informação essencial
Pub
Partilha

Pelo recinto do festival de tributo ao jovem Luís Lima passaram entre 1.500 a duas mil pessoas

Tags

Party Sleep Repeat volta a ser um sucesso

FOTO: Direitos Reservados
FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Pelo recinto do festival de tributo ao jovem Luís Lima passaram entre 1.500 a duas mil pessoas

Este último sábado, Throes + The Shine deram aquele que, para muitos, foi “o melhor concerto das suas vidas”. “A entrega total dos três músicos em palco” “arrebatou o público do Party Sleep Repeat” (PSR), o que, para Tiago Valente dos Santos, “é uma marca que não esperávamos alcançar”.
Mas os momentos altos da sexta edição do PSR não se quedaram pelo espetáculo dado pela banda portuguesa que mistura rock com kuduro. Em declarações exclusivas ao labor, o presidente da direção da Associação Cultural Luís Lima (ACLL), que organizou o festival em parceria com a câmara e a junta de S. João da Madeira e a Associação de Jovens Ecos Urbanos, destacou ainda o filho da terra Manel Cruz “por ser o cabeça de cartaz e pela interação com o público sanjoanense, logo ele que passou muito tempo da sua juventude nesta cidade”. E também os Zulu Zulu, “que, como antecipámos, deram um dos melhores concertos da noite, uma atuação incrível com momentos inesperados”, acrescentou.


Edição anterior foi superada “a todos os níveis”
Não obstante a semana que antecedeu o festival ter sido marcada “por planos de contingência por causa da chuva”, no final, a organização optou “por não cobrir a Alameda da Oliva Creative Factory e apenas o palco e os bares de comida”. E digamos que a opção não podia ter sido melhor, porque, apesar de ainda ter chovido até meio da tarde, mal “o festival abriu portas a precipitação cessou e nunca mais choveu”.
A partir daí, “tudo ocorreu da melhor maneira e, mais uma vez, superámos a edição anterior, a todos os níveis”, referiu o dirigente da ACLL, prosseguindo: “a decoração foi um ponto forte, com calçado pendurado na Alameda, plantas e várias zonas lounge”.
Além disso, “ter conseguido realizar atuações sem interrupções das 17h às 6h00  com casa cheia foi uma grande vitória, dado o ritmo que isso impõe no público mas também na própria organização e técnicos. Somos cada vez mais corajosos e ambiciosos e isso acaba por nos recompensar”, sublinhou o responsável.
Contas feitas por alto, pelo PSR 2018 passaram entre 1.500 a duas mil pessoas. De acordo com Tiago Valente dos Santos, os números finais ainda estão a ser apurados, mas tudo aponta para que “esta venha a ser a edição com a melhor receita de bilheteira para as causas sociais de sempre [projetos de investigação da Liga Portuguesa Contra o Cancro e iniciativa Apadrinhe esta Ideia, da Ecos Urbanos, que apoia famílias carenciadas]”.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas