a informação essencial
Pub
Partilha

Empresa de distribuição começou a ser criada a seguir ao festival de cerveja artesanal sanjoanense

Tags

“O primeiro passo para o Major Roçadas foi dado no Oliva Beer Mind”

Sofia Oliveira e Diogo Trindade com a Trindade, marca de refrigerantes artesanais, no 1.º Oliva Beer Mind
FOTO: Direitos Reservados
FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Empresa de distribuição começou a ser criada a seguir ao festival de cerveja artesanal sanjoanense

Tudo começou com a criação da cerveja artesanal Lindinha Lucas. Nunca ouviram falar? A menina que veio do campo para a cidade tornou-se stripper, adotou o nome artístico de Lindinha Lucas e é adepta de tatuagens, motos e veja lá cerveja...artesanal.
O slogan é “despe-se aqui” e não comece a imaginar coisas porque o significado é a cerveja artesanal Lindinha Lucas despe-se aqui que é como quem diz no seu copo. Tudo isto porque é importante entender a história para comprar o produto. Quem o diz é Diogo Trindade, um dos mentores deste projeto juntamente com Sofia Oliveira e Pedro Crispim, “vende-se se percebermos a história. Quem não souber a história cria todos os significados e os mais estúpidos possíveis”. E foi mais ou menos o que aconteceu a Lindinha Lucas. Os produtores deram de caras com a dificuldade de os distribuidores venderem a sua cerveja artesanal.
“O nosso problema com os distribuidores foi esse. Não se pode vender uma cerveja sem história”, deu a conhecer Diogo Trindade, explicando que costumam estar envolvidos em eventos que aliam a cerveja artesanal, tatuagens e motas. Tendo sido mesmo os primeiros a criarem a associação entre a cerveja artesanal e produtos para a barba.
Deparados com o constrangimento de distribuição da sua cerveja decidiram começar a pensar em soluções. Uma das razões que os trouxe até à 1.ª edição do Oliva Beer Mind, precisamente há um ano, foi uma palestra sobre distribuição com Ernesto Yria, um dos sócios da cerveja artesanal Yria em Espanha e um dos especialistas em distribuição, entre os oradores.
“Achámos que tinha interesse em vir e perceber o que estávamos a complicar. Depois da palestra tivemos várias reuniões com ele e aí nasceu o Major Roçadas”, revelou Diogo Trindade, considerando que “o primeiro passo para o Major Roçadas foi dado no Oliva Beer Mind”.
E assim nasceu o Major Roçadas a seguir à palestra no festival de cerveja sanjoanense, acabando por ser criado oficialmente em outubro de 2017.
E mais uma vez temos história. “O nome Major Roçadas é o nome de uma rua em Gaia, o nome de um militar português que foi o primeiro comandante do corpo expedicionário português em 1897. A imagem é de um explorador irlandês”, contou Diogo Trindade ao labor.
“O que queremos é fazer o que ele fez: trazer algo de novo para cá, mas levar algo de novo também”, revelou um dos sócios do Major Roçadas.
A empresa de distribuição é recente, mas o que não falta são clientes. “Temos cerveja de todo o mundo. Trazemos muito de Espanha, Inglaterra, Bélgica, Japão, estados Unidos da América, Dinamarca, Noruega e Áustria”, adiantou Sofia Oliveira ao labor.
A atividade do Major Roçadas “está muito acima e está a ultrapassar os objetivos e timings a que nos tínhamos proposto. Primeiro, nunca pensámos ter tanta aceitação com as cervejas estrangeiras. Nem pensámos ter tantos pedidos de cervejas portuguesas para as representar em Portugal. Para fora representamos grande parte delas”, acrescentou Sofia Oliveira.

Distribuição tem de ser elo entre o público e os produtores e promotores de cerveja artesanal

E qual o papel da empresa de distribuição de cerveja artesanal? Uma das certezas é a de que “não pode ser só entregar as cervejas aos sítios. A distribuição tem de pegar na cerveja como conceito e fazê-la crescer dentro da população. Depois todo o resto já vai sendo feito. É preciso chamar gente aos sítios e fazer os sítios chamar gente para provar a cerveja”, explicou Diogo Trindade, assumindo que o Major Roçadas pensa e age assim, não sem esclarecer que “cada empresa tem a sua maneira de estar e de ser. Há espaço para todas”. Este mercado “não é muito conhecido, mas é um mercado com uma dimensão com pessoas a trabalhar a tempo inteiro”, assegurou Sofia Silva.
Voltando à cerveja artesanal e a este seu mercado que parece ser um pouco desconhecido da maioria da população, há sempre mais e melhor a fazer pelo produto, pelos produtores e pelos promotores.
“Como produtores já fazemos alguma coisa, os promotores dos eventos já fazem muito. A cerveja artesanal está onde está mais pelos promotores dos eventos do que pelos produtores de cerveja. Mas há aqui um espaço entre estes dois que tem de ser feito pelos distribuidores”, admitiu um dos mentores do Major Roçadas ao labor.

Empresa portuguesa de refrigerantes artesanais é única em Portugal

Os mentores de Lindinha Lucas, Major Roçadas, Apetainer (distribuição de barris para cervejas, vinho e sangrias) também têm a Trindade, a única empresa portuguesa de refrigerantes artesanais.
O espaço de Diogo e Sofia esteve a promover a Trindade na 1.ª edição do Oliva Beer Mind, tal como pode ser visto na fotografia. “A recetividade foi excelente depois colmatávamos a várias fases do dia. Uma opção a quem não gosta de cerveja e vem a estes festivais e quer uma alternativa”, recordaram ambos ao labor.
A dupla vai estar novamente presente no Oliva Beer Mind deste ano com Lindinha Lucas e várias marcas estrangeiras que representa em Portugal.
As expectativas para a participação na segunda edição do festival de cerveja artesanal sanjoanense são “boas. Ficámos surpreendentemente agradados com a participação do ano passado com o público”, confessou Sofia Oliveira, recordando que “as pessoas aderiram muito bem para primeiro festival, para um sítio mais pequeno e que pode não ter tanto conhecimento da cerveja artesanal, mas os três dias estiveram sempre cheios”. “Portanto, a expectativa é que seja ainda melhor do que ano passado com a vantagem de terem mais conhecimento”, concluiu a mentora do Major Roçadas ao labor.

De 6 a 8 de abril

Festival de cerveja artesanal regressa à Oliva

O Oliva Beer Mind – Festival de Cerveja Artesanal de S. João da Madeira regressa de 6 a 8 de abril à sala dos fornos da Oliva Creative Factory.
O tema chave desta segunda edição é “Comunicar Cerveja” com oradores das áreas da comunicação e da indústria artesanal.
O Oliva Beer Mind conta com a presença de 18 cervejeiras e de duas empresas distribuidoras que vão apresentar mais de 140 estilos de cerveja artesanal.
O programa não é apenas focado na cerveja, mas também na gastronomia e interseção com outros produtos que “se complementam na perfeição”, segundo a organização do evento.
A acompanhar tudo isto haverá sempre música com bandas e dj´s ao longo dos três dias na Oliva Creative Factory.
O programa pode ser consultado em https://www.facebook.com/Olivabeermind/?ref=br_rs.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas