a informação essencial
Pub
Partilha

Citações acompanhadas de fotografias que melhor traduzem a sua prosa e poesia

Tags

“O Desassossego em Fernando Pessoa”

FOTO: Diana Familiar
Partilha

Citações acompanhadas de fotografias que melhor traduzem a sua prosa e poesia

A exposição fotográfica "Desassossego em Fernando Pessoa" de Ana Carvalho está patente desde o dia 2 de março na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.
O primeiro esboço desta exposição começou a ser traçado quando Harrie Lemmens, o principal tradutor de literatura portuguesa na Holanda e marido de Ana Carvalho, traduziu o “Livro do Desassossego” de Fernando Pessoa. A seguir, decidiram incluir na revista Zuca-Magazine, uma revista de divulgação da literatura portuguesa na Holanda,
frases e citações de Fernando Pessoa escolhidas por Harrie acompanhadas de fotografias tiradas por Ana que melhor traduzissem aquela prosa e poesia.
A composição desta exposição não exigiu muito tempo a Ana Carvalho porque “já tinha uma série de mais de 100 citações-fotografias. Foi só procurar chegar a uma seleção equilibrada e compatível com o espaço expositivo. Era essencial conseguir uma composição determinada pela cor, ritmo de imagens e de frases”, contou a própria ao labor.
As fotografias de Ana Carvalho vão tanto ao pormenor que muitas vezes são confundidas com obras de arte, ouviu-se durante a inauguração da exposição. A fotografia é “uma súmula de todas as artes. Umas vezes sugere pintura, através do detalhe, outras vezes cinema ou teatro, pela expetativa criada por um cenário ou coreografia das pessoas que circulam à minha volta e que procuro captar num certo momento, outras vezes ainda música através do ritmo das imagens”, revelou a fotógrafa, considerando que, “em tudo isto, o mais importante é a forma como as imagens veem ao meu encontro por acaso, como se estivessem à espera de ser captadas”.
As pessoas tiveram reações “muito entusiasmadas” e “algumas ficaram fascinadas com a relação entre palavras e imagens. É, segundo elas, como se houvesse uma certa magia poética nas fotografias que escolhi”, confessou Ana Carvalho ao labor.
A fotógrafa levou “uma boa recordação do carinho com que foi recebida e uma grande surpresa em relação ao que se faz em S. João da Madeira pela cultura. Surpreendentes também a dinâmica e o dinamismo que pressenti nas pessoas envolvidas”. Ana Carvalho acrescentou à sua “bagagem” “belas fotografias da zona industrial que inclui num tema a que dei o título “Passado no presente”, atraída pelas marcas deixadas pelo tempo e pela(s) história(s)”.
O principal objetivo da revista digital Zuca-Magazine, “entretanto já com duas versões em papel, uma de introdução e outra sobre José Saramago, é divulgar a literatura lusófona na Holanda, já traduzida ou que merecia ser traduzida. Com as edições especiais, procuramos convidar autores e criar um evento em torno da sua obra”, explicou a fotógrafa. A divulgação levada a cabo por esta revista “já tem contribuído para chamar a atenção das editoras para autores que passariam doutro modo despercebidos. Para a apresentação das traduções forneço habitualmente fotografias para serem projetadas em livrarias ou outros locais”, acrescentou Ana Carvalho ao labor.
Ana Carvalho é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas e reside atualmente na Holanda. Participou em diversas exposições de fotografia, individuais e coletivas, em Amesterdão, Bruxelas, Utrecht, Haarlem, Lagoa, Porto, Cascais, entre outos. É membro da redação da Zuca-Magazine, tendo várias fotografias suas publicadas em livros e catálogos de exposições.

Poesia à Mesa, “uma imagem de marca de S. João da Madeira”

Entre os presentes estava Irene Guimarães, vereadora da Educação, que teve a “ousadia” de dizer a Ana Carvalho que quando olhava para as suas fotografias tinha dificuldade em distinguir as mesmas de “quadros de obras de arte ou fotografias captadas pela máquina fotográfica”. A exposição inaugurada foi a primeira iniciativa da 16.ª edição da Poesia à Mesa. “Um projeto único, com programação diversa e muita qualidade que nos vai envolver a todos”, destacou Irene Guimarães sobre a Poesia à Mesa, “uma imagem de marca de S. João da Madeira”.
Desde o dia 2 de março e até ao dia 12 de abril, a Poesia à Mesa “coloca literalmente a poesia” ao dispor de cada um, assumiu Suzana Menezes, Chefe de Divisão de Cultura da autarquia sanjoanense. Uma grande parte da programação da edição deste ano está direcionada para o 130.º aniversário de Fernando Pessoa. Esta exposição é o exemplo disso mesmo ao apresentar a forma como Ana Carvalho “vê, sente e exprime as palavras do desassossego de Fernando Pessoa”, rematou Suzana Menezes.
A inauguração da exposição contou ainda com a presença de José Nuno Vieira, vice-presidente da autarquia, Carlos Magno, presidente da ERC e apaixonado pela fotografia, Manuel Costa, diretor da Biblioteca Municipal da Póvoa do Varzim, Joaquim Pinto da Silva, antigo funcionário da União Europeia e criador da livraria Orfeu em Bruxelas, e parceiros da Poesia à Mesa.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas