a informação essencial
Pub
Partilha

Em conferência de imprensa onde reafirma posição face à EN223

Tags

Coligação acusa PS de “aproveitamento político”.

Partilha

Em conferência de imprensa onde reafirma posição face à EN223

Segundo elementos da coligação PSD/CDS-PP, “o presidente da câmara chegou atrasado” a esta matéria. Para os sociais-democratas e centristas sanjoanenses que convocaram a imprensa na passada segunda-feira, “o PS volta a querer tirar aproveitamento político sobre o assunto, informando que o presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira esteve reunido [a 15 de janeiro] com a Infraestruturas de Portugal e que posteriormente foi adjudicada” a beneficiação da EN223 quando na verdade esta já havia sido anunciada a 11 de janeiro. Ou seja, quatro dias antes da dita reunião.
De acordo com Paulo Cavaleiro, “esta forma de fazer política pode parecer que dá resultado, mas com o tempo as pessoas percebem quem é que fez um trabalho considerável”. O vereador da oposição falou às jornalistas presentes na conferência de imprensa em “mais de uma dezena de iniciativas”, entre “perguntas ao Governo, intervenções na Assembleia Municipal, propostas aprovadas”, levadas a cabo por membros afetos à coligação PSD/CDS-PP após a apresentação do Plano de Proximidade de Médio Prazo 2015/2019, pela Estradas de Portugal, em dezembro de 2014. Documento onde constava precisamente a requalificação do tão propalado troço entre o nó de Arrifana do IC2 e o nó de Santa Maria da Feira da A1.

“Não deixámos cair este assunto por o considerarmos muito importante”
A ideia de Paulo Cavaleiro - tal como a de João Almeida e Susana Lamas que intervieram de seguida - foi mostrar que “não deixámos cair este assunto por o considerarmos muito importante” e que lutaram “por ele sempre da mesma forma, quer quando estávamos no Governo, quer quando não estávamos”. Aliás, por considerarem a empreitada “prioritária”, continuar a defendê-la junto de quem de direito foi “um dos 20 principais compromissos assumidos em campanha eleitoral” pela coligação “Maioria por S. João da Madeira”, conforme fez questão de recordar.
Na ocasião, o ex-vice presidente da autarquia defendeu ainda que “o PS deve um pedido de desculpas aos sanjoanenses e à região pelo atraso que a obra teve”. Ainda mais quando a obra, depois da sua cativação pelo Governo liderado por António Costa, vem agora a ser “adjudicada nos mesmos moldes e à mesma empresa que já havia sido adjudicada pelo Governo PSD/CDS-PP”.

“Valeu a pena!”
Em defesa da EN223, as vozes de João Almeida e Susana Lamas fizeram-se ouvir no Parlamento por mais do que uma vez. Aliás, no caso de Susana Lamas o mesmo aconteceu na Assembleia Municipal de S. João da Madeira. “Um trabalho quase de ‘formiguinha’” que, no entender da coligação PSD/CDS-PP, “valeu a pena!”.
“Estando ou não no poder, os interesses dos sanjoanenses estão acima de qualquer outro interesse”, garantiu a deputada à Assembleia da República eleita pelo círculo de Aveiro, em jeito de crítica ao Partido Socialista, indo ao encontro do que João Almeida já havia dito antes.
“Não faz sentido fazer política só para dizer bem dos nossos em determinados momentos”, referiu o parlamentar centrista, “apontando o dedo” à “passividade muito grande dos representantes do PS”. “Vamos ter obra como em 2014 foi definido. Pena é que tenhamos obra só quatro anos depois”, lamentou ainda a propósito.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas