a informação essencial
Pub

Ser otimista dá saúde

Partilha

A crise (a que não gostamos de ouvir falar nem sentir) já fez correr rios de tinta na imprensa nacional. Mas, apesar das dificuldades que o país atravessa, há que remar contra a maré de pensamentos menos positivos que ocupam a nossa mente no dia-a-dia. O pessimismo nunca foi (nem será creio) uma estratégia de ação que possa vir adquirir conhecimento.
Pelo contrário: só não resolve os problemas, como ainda os agudiza mais, na medida em que os pessimistas desconfiam das soluções e alimentam expetativas negativas em relação ao futuro. O pessimismo bloqueia uma série de competências necessárias à vida, nomeadamente a persistência (uma mais-valia que ajuda a lidar melhor com as adversidades) e a motivação.
Apesar da conjuntura já não ser nos dias de hoje tão negativa (situação que ainda em nada favorece, pelo contrário continua acarretar algum mal-estar), o treino do otimismo é meio caminho andado para se encontrar a luz ao fundo do túnel.
"Por exemplo: duas pessoas perante uma situação de desemprego podem ter atitudes diferentes". Os otimistas, regra geral, chamam a si e com mais facilidade buscam soluções e encaram os problemas de frente. Mas para se alcançar o bem-estar, há que dizê-lo: o treino do otimismo é fundamental. Mas esse é um rumo que implica mudar os padrões habituais de funcionamento para se poder combater o pessimismo, o que obriga desviar o foco da atenção das realidades negativas". As atitudes derrotistas assumem um efeito de bola de neve porque geram mais pessimismo. Para que se possa avançar na direção do otimismo há que, primeiramente, "analisar os problemas". Só depois desta avaliação é que se parte para a procura de soluções. Mas, como em tudo na vida, é preciso capacidade de resistência para vencer as dificuldades, mesmo quando a vida não sorri.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas