a informação essencial
Pub
Partilha

Tags

A Passadeira

FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Há dias atrás, numa rua em frente a uma importante escola desta cidade, que recebeu aliás milhões de euros em investimento, um jovem adolescente atravessou diante do meu carro de modo provocatório e em passo muito lento, talvez por sentir que estava numa simples passadeira de riscas vermelhas.
Parei o carro e perguntei-lhe se não o tinham ensinado a atravessar uma rua?
- Disse-me que não ! Com total indiferença .
Porventura o rapaz julgava que por ir dentro de uma passadeira a poderia percorrer em passo demorado e sem qualquer atenção ao trânsito automóvel.
Em boa verdade a travessia de uma simples rua com passadeira ou não, exige da parte do peão a atenção ao tráfego de ambos os lados, devendo-a atravessar em passo rápido, sem correr, e de modo perpendicular à via. Tão simples quanto isso. Foi assim aliás, que o meu Avô, que até vinha de um meio rural ,me ensinou há 50 anos atrás.
Lembrei-me então que a educação cívica quer nas famílias, quer nas escolas, tem vindo a esbater-se e nada destes comportamentos em sociedade andam a ser transmitidos às novas gerações, nem mesmo a muitos adultos. É o conceito do “direito a qualquer coisa” que persiste e assim é distorcido.
Seria pois muito benéfico que houvesse nas escolas secundárias, alguma formação de civismo na qual pudessem ser transmitidas imensas regras de comportamento ( sim …regras ! ) para que a sociedade evoluísse no bom sentido.
Haveria outras noções a transmitir às novas gerações que passo a exemplificar:
- Saberem comportar-se perante pessoas mais velhas nos edifícios públicos, dando-lhes prioridade desde ao entrar na porta até à ajuda nos mais pequenos detalhes.
- Saberem comportar-se á noite na saída de restaurantes e outros espaços públicos evitando ruído desnecessário.
- Saberem respeitar os seus professores e exigir que os seus Pais também os respeitem.
- Terem curiosidade pelo conhecimento e pela cultura de outros povos em vez de repetidamente falarem dos golos não marcados da sua equipa favorita.
- E por aí fora…
Para tal bastaria que nas nossas escolas dessem uma só hora semanal com noções concretas de CIDADANIA e CIVISMO desde a pré-primária até à faculdade do mesmo modo e insistência como ensinam o Português e a Matemática. Até poderiam recorrer a imagens, filmes ou outros meios audiovisuais, para que as aulas sejam mais aliciantes.
Tudo isto para que a dita “Civilização ocidental” que se intitula nos “mass média” como justiceira e titular dos direitos humanos do planeta, não caminhe afinal para um vazio de valores egoístas, pleno de grosserias e disparidades próprias de uma civilização “neo bárbara” recheada de tecnologia.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas