a informação essencial
Pub

“Serafim Leite” representa o país em concurso mundial de programação e robótica nos EUA

Os professores José Lemos e Fátima Pais e os alunos Rui Costa, João Azevedo e Rúben Fernandes
FOTO: Rui Guilherme
O robô “Zingarelho”
FOTO: Rui Guilherme
Partilha

O Agrupamento de Escolas (AE) Dr. Serafim Leite vai representar o país no concurso mundial de programação e robótica, First Global, promovido pela International FIRST Committee Association (IFCA), de 16 a 18 de julho, no Constitution Hall em Washington D.C. nos Estados Unidos da América.
O convite direto dos EUA ao AE Dr. Serafim Leite terá resultado da sua internacionalização ao longos dos últimos anos através de programas de ERASMUS, da União Europeia e mais recentemente da participação num projeto de mentoring na Universidade de Ciências de Nova Iorque.
Os alunos Rúben Fernandes e Rui Costa, do curso profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos, e João Azevedo, do curso profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando, vão participar no concurso acompanhados dos docentes Fátima Pais de programação e José Lemos de eletrónica e mecatrónica.
Enquanto Rúben Neves e Rui Costa são especialistas em programação, João Azevedo é o especialista na área de eletrónica e mecatrónica.
A IFCA, organização sem fins lucrativos, tem “como missão inspirar os mais de dois mil milhões de jovens de todas as nações para a Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM)”, deu a conhecer o AE Dr. Serafim Leite.
O First Global é “um concurso de programação e robótica que aborda uns dos 14 grandes desafios identificados pelas academias nacionais de engenharia dos Estados Unidos, Reino Unido e China”, informou a mesma fonte.
Com base no “princípio de que o acesso à água potável é um dos grandes problemas da humanidade”, o concurso desafiará cada uma das equipas “a colaborar na busca de soluções nas áreas de armazenamento de água potável, filtragem de água contaminada e procura de novos aquíferos”, explicou o AE Dr. Serafim Leite.
“A particularidade que tem este concurso, com tantas assimetrias que há no globo, a forma que a organização arranjou para de alguma forma atenuar estas diferenças, foi entregar a cada país participante exatamente o mesmo material que pode ser montado das mais diversas formas possíveis”, revelou Fátima Pais.
Um dos aspetos interessantes é “o de estabelecer uma comunidade online com diferentes países. Uma comunidade muito interessante porque há competição, como é óbvio, mas também há uma componente de colaboração que é valorizada pela organização”, contaram Fátima Pais e José Lemos.

Os “Tugarelhos” com o “Zugarelho”
prometem honrar “A nossa alegre casinha”

A equipa do AE Dr. Serafim Leite escolheu o nome “Tugarelhos” e construiu o “Zingarelho”, o seu robô, e uma música que representasse o seu país, à exceção do hino, escolhendo “A minha alegre casinha” da banda Xutos e Pontapés.
O “Zingarelho” começou a ser construído em março “de dia para dia tem mudado. É um trabalho em progresso”, afirmou José Lemos.
O concurso conta com a presença de mais de 160 países, 40 europeus, dos quais 27 são membros da União Europeia, que serão agregados em equipas de três países diferentes com o intuito de despoluírem um rio com a ajuda do seu robô.
“Vamos ter um conjunto de bolas azuis, água potável, que temos de levar para um determinado reservatório e vamos ter bolas laranjas, agentes poluentes, que temos de levar para outro sítio”, revelou Fátima Pais, sempre respeitando um conjunto de regras criadas pelos americanos.
Para Rúben Fernandes, capitão da equipa dos “Tugarelhos”, a participação no concurso é “sobretudo um desafio, mas também representa uma experiência que vamos ter num país diferente, com outros países e culturas diferentes”. Tanto Rúben Fernandes como Rui Costa revelaram que a programação e a construção do robô exigiram “muitas horas de trabalho”. A dupla de jovens programadores já trabalha junta há algum tempo, tendo participado recentemente num concurso de robótica em Guimarães.
Já João Azevedo, o especialista em eletrónica e mecatrónica, tem expectativas “altas”, acreditando que “vai correr tudo bem depois de todo este trabalho que temos tido”. “Esperemos que o Zingarelho nos surpreenda”, confessou João Azevedo.
A participação do AE Dr. Serafim Leite neste concurso representa “em primeiro lugar a garantia da representação de Portugal”. Depois, representa “um desafio enorme e uma oportunidade única de aprender, para a escola, para os professores, para os alunos e para a cidade”, considerou Fátima Pais.
A equipa sanjoanense deu uma entrevista à comunidade portuguesa nos EUA que estará a apoiá-la, com presença marcada no concurso de programação e robótica.

Agradecimento a todas as instituições e empresas que
permitiram a presença da equipa sanjoanense no concurso

A equipa do AE Dr. Serafim Leite, a única a representar Portugal, “recebeu palavras de encorajamento e aprovação da Presidência da República e angariou apoios, no sentido de custear a deslocação e a estadia dos participantes, uma vez que as despesas não são totalmente cobertas pela IFCA. O Ministério da Educação – Direção Geral de Educação, bem como a Câmara Municipal de S. João da Madeira foram os primeiros a responder positivamente ao pedido de apoio”, informou a própria.
A equipa também deixou um agradecimento a todas as empresas que contribuíram com apoios pecuniários e tornaram possível a sua presença neste concurso mundial. As empresas são Johnson Controls, Recursos, Ideias e Soluções Informáticas, Lda., Vieira Araújo S.A., Yazaki Saltano de Ovar, P.E. Lda., NORVIAGENS Lda., FCo. fullservice company, Inovar + AZ, Sistemas de Informação Lda., Ledistrónica - Componentes Electrónicos Lda., Olmar - Artigos de Papelaria Lda., MegaStock, Friparque Lda., Tecmacal Equipamentos Industriais S.A.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas