a informação essencial
Pub

"Party Sleep Repeat" é o Melhor Festival Pequeno

FOTO: Direitos Reservados
Partilha

Festival de Prémios Ibéricos

O “Party Sleep Repeat” (PSR) 2016 foi considerado o “Best Small Festival” (Melhor Festival Pequeno) pelo “Iberian Festival Awards” (IFA – Festival de Prémios Ibéricos).
Os vencedores de todas as categorias foram conhecidos no dia 16 de março em Barcelona.
O festival sanjoanense esteve entre os 10 finalistas nas categorias “Best Small Festival”, “Best Indoor Festival” (Melhor Festival Interior), “Best Communication” (Melhor Comunicação) e “Best Infrastructure” (Melhor Infraestrutura), tendo sido nomeado para as duas primeiras categorias graças ao voto do público e para as duas últimas pelo voto do júri.
O PSR foi considerado o “Best Indoor Festival” em 2016 e agora “Best Small Festival” em 2017. Enquanto o “Best Indoor Festival” “colocava-nos na categoria de festivais que promovem os seus concertos dentro de um recinto com cobertura”, o “Best Small Festival” “faz com que sejamos distinguidos no segmento de eventos que têm até 2.000 espectadores”, explicou Tiago Valente dos Santos, presidente da Associação Cultural Luís Lima (ACLL), responsável pela organização do PSR.
O prémio atribuído ao festival sanjoanense numa outra vertente é “positivo”. Mais do que isso. É “sinal de um reconhecimento mais holístico ao festival e também perceber que batemos, por exemplo, o ´Misty Fest´ que terá um orçamento muitíssimo superior ao do PSR porque tem também finalidades diferentes daquelas que promovemos”, assumiu Tiago Valente dos Santos ao labor.
O PSR não foi distinguido nas categorias escolhidas pelos júris, mas “foi uma honra enorme termos sido considerados por parte de personalidades do meio como Fernando Alvim, da Antena 3”, sublinhou o presidente da ACLL.
“Apesar de sabermos que temos a qualidade suficiente para sermos premiados com estes galardões, sabíamos à partida que seria praticamente impossível sermos distinguidos como os melhores dos melhores nestas duas categorias”, admitiu Tiago Valente dos Santos ao labor.
Uma vez que o PSR estava nomeado em quatro categorias, a organização poderia estar à espera de mais. Isto é, ver o festival sanjoanense ser distinguido em duas categorias. Apesar de todas estas conquistas, todo o mérito do PSR, “não criamos expetativas face a este tipo de reconhecimentos, a concorrência é muito forte e este ano ainda foi mais difícil voltar a ganhar dado o crescente mediatismo dos Iberian Festival Awards”, afirmou o presidente da ACLL, esclarecendo que “de facto perdemos algumas das categorias para festivais que recebem, em alguns casos, uma centena de milhar de pessoas como Rock in Rio, o Bilbao BKK ou o Lisb-On”.

“Este prémio, tal como o anterior, é dedicado ao Luís”

O PSR foi distinguido pelo segundo ano consecutivo pelos IFA. Esta e outras distinções são sinónimo de motivação acrescida para fazer mais e melhor? Claro que “sim”. “Inegavelmente é uma boa forma de nos motivar, especialmente porque foram as pessoas que frequentam o festival que quiseram que assim fosse uma vez que se trata de uma categoria votada pelo público. Sentimos esse carinho do público todos os anos e é, sem dúvida, uma boa forma de materializar esse sentimento num prémio como aquele que recebemos. Vale a pena relembrar, no entanto, que, antes de concorrermos a este tipo de prémios, já existia um caminho percorrido em que de edição para edição fizemos mais e melhor”, respondeu Tiago Valente dos Santos ao labor.
A ACLL criou o PSR em homenagem ao jovem Luís Lima que faleceu em novembro de 2012 devido a doença prolongada. A luz de Luís Lima continua a brilhar através deste evento que é um marco cultural em S. João da Madeira.
O caminho traçado pela ACLL está relacionado com a “nossa vontade em fazer o evento com cada vez mais qualidade lembrando também a forma de trabalhar do Luís, que era incansável e com uma qualidade sempre acima da média mesmo que isso não lhe fosse exigido”, salientou o presidente.
Se o prémio tivesse ou pudesse ser entregue a alguém seria, sem sombra de dúvidas, “ao Luís Lima. Este prémio, tal como o anterior, é dedicado ao Luís e é uma ótima forma de o recordar e sublinhar que aquilo que fazemos acontece por via do exemplo e amizade que nos transmitiu”, conclui Tiago Valente dos Santos ao labor.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas