a informação essencial
Pub
Partilha

Concurso para escolha de novo empreiteiro ficou deserto. Foi novamente reaberto

Tags

Obra do Hospital continua parada

Partilha

Concurso para escolha de novo empreiteiro ficou deserto. Foi novamente reaberto

A requalificação do Serviço de Urgência Básica (SUB) do Hospital de S. João da Madeira continua parada.
A obra custa cerca de 200 mil euros, suportados pelo Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV), e está dividida em três fases.
A primeira pretende tornar a entrada de serviço funcional ao quebrar as barreiras existentes entre a sala de registo de utentes, a sala de espera para triagem e o gabinete para triagem. A segunda visa reformular por completo a zona de observação, tratamentos e administração de medicamentos a doentes. E, por último, melhorar a zona de espera de doentes e acompanhantes, os gabinetes de atendimento e um espaço de repouso para os profissionais de saúde.
O CHEDV apresentou a requalificação do SUB do Hospital de S. João da Madeira em abril do ano passado à comunicação social. A obra começou no início de maio, estava prevista terminar ao fim de cerca de dois meses e meio até que parou.
De acordo com o CHEDV, a primeira fase da obra apenas tinha pendente alguns acabamentos que a empresa contratada não conseguiu concluir.
O centro hospitalar e o empreiteiro chegaram a um acordo de rescisão e o segundo deixou a obra no fim do mês de janeiro deste ano, informou o CHEDV, em março deste ano, ao labor.
Na altura, o centro hospitalar estava a tratar da abertura de um concurso público para escolher uma nova empresa para terminar os trabalhos desta obra.
Este concurso “aberto, no início de maio, ficou deserto, por falta de propostas. Foi novamente reaberto e está em prazo de apresentação de propostas”, deu a conhecer o CHEDV depois de questionado pelo labor.
O centro hospitalar estava a levar a cabo obras de requalificação da morgue e da capela mortuária e do palacete no valor total de 400 mil euros.
A obra de requalificação da morgue e da capela mortuária terminou em dezembro do ano passado. Já a obra de requalificação do palacete está “perto do seu termo”, informou o CHEDV ao labor.

Secretaria de atendimento improvisada até retomar obra na Urgência
A queda de parte do teto na sala de secretaria de atendimento aconteceu no dia 28 de abril, tal como avançou na altura O Regional.
Passado mais de um mês do sucedido, uma sala de secretaria de atendimento improvisada está montada junto ao espaço onde funcionava anteriormente. O nosso jornal quis saber quando é que este espaço seria recuperado. “Não desabou nenhum teto, apenas caiu uma parte do estuque (nem deve chegar a 1m2)”, começou por dizer o CHEDV, informando que esta intervenção “está incluída no caderno de encargos da obra a realizar no serviço de urgência”.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas