a informação essencial
Pub

Albergue para animais assaltado

FOTO: Diana Familiar
Partilha

A construção de um Albergue para Animais Errantes, apresentada por Teresa Oliveira, presidente da Ani S. João, venceu o Orçamento Participativo (OPM) de 2014, mas continua sem estar concluída.
E foi precisamente em conversa com Teresa Oliveira que soubemos que o Albergue para Animais Errantes foi assaltado há cerca de duas ou três semanas. Os autores de tal delito “estroncaram a porta” e levaram vários materiais como “o cilindro, o chuveiro, torneiras, o suporte de papel higiénico e o dispensador em inox”, deu a conhecer Teresa Oliveira que soube do sucedido através de outras pessoas que visitaram o Albergue para Animais Errantes que está a ser construído em Casaldelo.
A Câmara Municipal de S. João da Madeira confirmou o assalto e os materiais levados pelos assaltantes, tendo participado a ocorrência à PSP e ao seguro, apurou o labor.
Neste momento, “abrimos tudo para fazer as fundações, construir os muros e colocar a vedação”, adiantou a presidente da Ani S. João sobre o estado do projeto que esteve parado desde a semana passada devido às condições meteorológicas.
O projeto enfrentou dificuldades desde o início, seja com o terreno, a aprovação de meios financeiros, a existência de infraestruturas, entre outras. Perante todos estes “para e arranca”, a associação quer abrir portas com, pelo menos, entre “11 a 12 boxes (tal como nas atuais instalações)” e com “a vedação pronta”, afirmou Teresa Oliveira.
Mas não quer ficar por aqui. A Ani S. João pretende “chegar às 20 ou mais boxes” e “construir um gatil que faz muita falta”, revelou a presidente ao labor.
A associação é responsável por cerca de 32 cães nas atuais instalações e de muitos mais que estão em famílias de acolhimento. Relativamente ao número de gatos, Teresa Oliveira não consegue quantificar, mas são “bastantes a aparecer a toda a hora”. Por esta razão, a presidente da associação assume com toda a certeza de que é premente construir um gatil municipal. “O gatil intermunicipal não vai ser suficiente para seis municípios”, afirmou Teresa Oliveira, aplicando o mesmo raciocínio relativamente aos cães.

“Logo que estas obras sejam concluídas, está prevista a transferência dos animais”
Apesar de o Albergue para Animais Errantes ter resultado do OPM 2014, “constatou-se, no entanto, a necessidade de efetuar trabalhos não contemplados nesse âmbito, de forma a assegurar a melhor funcionalidade do equipamento, num processo que tem sido acompanhado pela ANI S. João”, informou a Câmara Municipal de S. João da Madeira depois de questionada sobre o estado da obra pelo labor.
“Assim, foram já efetuadas, por administração direta da câmara, as obras de limpeza de silvas e infestantes, aterro com movimentação e modelação de terras, definindo a área a vedar e o respetivo acesso. No entanto, a chuva persistente que se fez sentir não permitiu proceder à compactação e colocação de inertes de revestimento, estando programado que esses trabalhos avancem agora com a melhoria das condições atmosféricas”, continuou. 
Neste momento estão “em curso as obras de vedação, sendo parte das mesmas - implantação das fundações e colocação de guia no caminho de acesso - efetuada por empreitada já adjudicada. A restante parte - pintura e corte de prumos, redes e portões - está também em curso através dos serviços de serralharia do Município”, adiantou a autarquia sanjoanense.
“Logo que estas obras sejam concluídas, está prevista a transferência dos animais que se encontram no Canil Municipal localizado junto aos Armazéns Municipais”, concluiu ao labor. A autarquia sanjoanense não prestou declarações sobre o assalto ao Albergue para Animais Errantes.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas