a informação essencial
Pub
Partilha

Festa juntou cerca de 150 adeptos e vários elementos ligados ao clube

Tags

Núcleo do Sporting de S. João da Madeira comemorou 24.ºaniversário

FOTO: Nuno S. Ferreira
FOTO: Nuno S. Ferreira
FOTO: Nuno S. Ferreira
FOTO: Nuno S. Ferreira
FOTO: Nuno S. Ferreira
FOTO: Nuno S. Ferreira
Partilha

Festa juntou cerca de 150 adeptos e vários elementos ligados ao clube

Foi perante uma sala repleta que o Núcleo do Sporting de S. João da Madeira comemorou, no passado dia 22 de janeiro, o seu 24.º aniversário, evento que contou com alguns nomes ligados ao clube de Alvalade. Carlos Pereira, velha glória do futebol leonino, Nuno Lopes, ligado ao hóquei em patins do Sporting, Fernando Fernandes, antigo campeão nacional e mundial de kickboxing, e Luís Gestas, vogal do Conselho Diretivo do clube, foram alguns nomes sportinguistas que marcaram presença na festa do núcleo sanjoanense.
As comemorações arrancaram por volta das 11h00 com a receção dos convidados na sede do Núcleo, mas o ponto alto do evento foi o almoço de aniversário que este ano decorreu no Restaurante Fénix, situado no antigo quartel dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira.
Com um discurso que teve por base a dimensão do clube de Alvalade, João Cardoso, presidente do Núcleo sanjoanense, fez questão de sublinhar que o Sporting “não é só futebol”, elogiando a demonstração protagonizada pelos atletas de kickboxing leoninos. “Temos 16 campeonatos nacionais em diversas modalidades. Temos de sentir orgulho em ser sportinguistas. A nossa autoestima tem de ser sempre forte porque o clube assim o exige e o transmite através dos seus títulos”, acrescentou o responsável, agradecendo o apoio dos sportinguistas que se associaram às comemorações da delegação sanjoanense. “Num contexto extremamente difícil e numa semana muito complicada temos a sala cheia. Isso demonstra que o Sporting é muito grande. Temos que estar unidos como estamos nesta sala. Só assim conseguimos os nossos objetivos, que é tornar o Sporting no melhor clube mundial. Temos todas as condições para lá chegar”, destacou o dirigente, recordando que o clube “está no top cinco a nível mundial em termos de associados”.
Com o Núcleo a comemorar o 24.º aniversário, João Cardoso admite que o percurso não tem sido fácil. “Ainda somos muito novos, mas já são 24 anos de muitas alegrias e de alguns percalços”, referiu o dirigente.
“É uma marca importante”, sublinhou Paulo Cavaleiro, vice-presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, que também vê a cidade sanjoanense como “um concelho muito jovem”. “Temos uma dinâmica industrial que é conhecida no país pela força das nossas gentes e pela capacidade de trabalho, que é também o que colocamos no desporto”, disse Paulo Cavaleiro, recordando que S. João da Madeira tem um dos pavilhões mais antigos de Portugal e o primeiro estádio e pista de atletismo do distrito de Aveiro. “Isso fez com que estivéssemos muito à frente no desporto durante vários anos. O Sporting é um bocado assim. É um clube que não vive só do futebol e isso ficou aqui demonstrado com a exibição de kickboxing, uma modalidade que, se calhar, pouca gente conhece”, explicou o vice-presidente, que garantiu que a autarquia estará sempre disponível para ajudar. “Aqui cuidamos bem das nossas instituições. São a força da nossa terra. Fazem-nos crescer a ajudam-nos a ter uma nova dinâmica. Em S. João da Madeira todas as instituições merecem o nosso respeito. O que precisarem do município estaremos ao dispor”, concluiu Paulo Cavaleiro.
A pouco mais de um mês das eleições no Sporting, Luís Gestas, atual vogal do Conselho Diretivo do clube, foi cauteloso nas palavras evitando um “discurso eleitoralista”. Sublinhando que o Sporting “não é só presente”, o dirigente referiu que o clube “tem uma história e passado” de que todos se devem orgulhar. “Falar do presente sem recordar o passado é esquecer a história, do bem e do mal, do que se construiu e está a construir. O Sporting é de todos aqueles que se identificam com 110 anos de história”, referiu Luís Gestas, que também sublinhou que o clube leonino “não é só futebol”.
Enaltecendo o trabalho importante para o clube das diversas delegações, o dirigente admite que “quanto maior a distância que separa o núcleo do Estádio de Alvalade, mais se sente o sportinguista”.
Sublinhando que não pretende fazer campanha eleitoral pela lista liderada por Bruno de Carvalho, Luís Gestas não deixou de “recordar o Sporting de há quatro anos atrás”. “Estávamos a atravessar um grave momento. Não falo da crise financeira, ou da crise desportiva, mas da crise de valores que o Sporting atravessava e da força de vontade que este Conselho Diretivo teve para mudar o rumo dos acontecimentos”, referiu o dirigente que considera que esse trabalho “a história nunca poderá apagar”. “Há quatro anos o Sporting tinha 26 modalidades. Neste momento tem 52 que nos orgulham e defendem o clube. A Sporting TV era surreal e neste momento é uma realidade e está em crescimento”, continuou Luís Gestas, que salientou, em particular, a construção do Pavilhão João Rocha. “Para uns era impossível, mas para nós é uma realidade”, frisou o dirigente, que apelou à união em torno de todas as equipas do clube.

Fernando Fernandes apresentou projeto de vida em S. João da Madeira

Fernando Fernandes foi um dos elementos sportinguistas presentes no almoço comemorativo do 24.º aniversário do Núcleo do Sporting de S. João da Madeira.
O campeão nacional, europeu, intercontinental e mundial de kickboxing e atual responsável pela modalidade no clube de Alvalade, aproveitou a iniciativa não só para divulgar o desporto onde fez carreira, com exibições de alguns dos seus atletas, mas também para dar a conhecer o livro “Ser campeão no ringue como na vida”, de sua autoria. “Representa muito para mim”, confessa o agora treinador, que conta com 25 anos de ligação ao Sporting e quase 40 à modalidade. “No auge da minha carreira, que foi entre 1990 e 1995, não havia internet ou grandes meios de informação. Sempre que podia trazia livros ou pedia a pessoas que me trouxessem cassetes VHS para que pudesse ver combates. Sentia que em Portugal havia uma grande carência de informação. Foi por isso que decidi fazer um livro”, recorda Fernando Fernandes, que, no entanto, viu o seu projeto pessoal ficar na gaveta por não ter possibilidades económicas para avançar com a publicação. “Guardei o livro, sempre com a ânsia de que um dia iria conseguir”, confessa o ex-atleta, que há cerca de quatro meses viu o sonho realizado. “Através da minha dedicação à massagem e recuperação física, que são as minhas ocupações profissionais, consegui angariar dinheiro para lançar o livro”, refere Fernando Fernandes, que 20 anos depois do primeiro esboço, dedicou os últimos três a atualizar a informação da publicação. “Tudo o que lá tinha foi complementado com a história da minha vida e foram adicionadas fotografias novas”, explica o treinador.
Direcionado para os amantes da modalidade, Fernando Fernandes confessa que gostaria de ver seu trabalho no kickboxing “reconhecido” com a publicação do livro.
Apresentado em setembro, o livro está atualmente à venda na Loja Verde, do Sporting, e na Fnac.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas