a informação essencial
Pub

Espaço Empresa processou 20 pedidos

FOTO: Diana Familiar
Partilha

Um mês depois de abrir

O Espaço Empresa abriu há cerca de um mês, dia 18 de maio, na Oliva Creative Factory.
O Município sanjoanense é um dos primeiros a disponibilizarem este serviço cuja placa de descerramento contou com a presença do presidente Jorge Sequeira, de Maria Manuel Leitão Marques, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, e Ana Lehmann, secretária de Estado da Indústria.
A iniciativa comandada pelo IAPMEI tem o intuito de criar uma rede de pontos únicos de atendimento presencial, telefónico e online a aspirantes a empresários, empresários e a empresas com serviços disponibilizados pela Administração Central e Local. Este serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, na Oliva Creative Factory.
O Espaço Empresa durante o seu primeiro mês de funcionamento processou “duas dezenas de pedidos” de empresários de Arrifana (concelho de Santa Maria da Feira), Vale de Cambra, Ovar, Torreira, Gulpilhares (Vila Nova de Gaia), Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira. Este serviço já tinha sido procurado por duas pessoas, uma de Vale de Cambra e outra de Ovar, com negócios ligados à transformação de vidro e à indústria do calçado, respetivamente, na semana da sua abertura.
Os serviços mais procurados durante o primeiro mês de funcionamento deste espaço são a criação de chave móvel digital, mera comunicação prévia, licenciamento industrial, registo de alojamento local, esclarecimentos criação de empresa, consulta de dossiê eletrónico de empresa, consulta de licença/título de exploração, deu a conhecer a Câmara Municipal de S. João da Madeira depois de questionada pelo labor.
Neste serviço também foi feita a tramitação de processos “mais complexos” como o licenciamento industrial para a regularização de uma empresa de calçado e mais simples como a mera comunicação prévia da abertura de um café, snack bar e “casa de petiscos” que abriu em na Avenida do Brasil .
No primeiro caso, só o “preenchimento de um licenciamento industrial demora em média 2h30 de atendimento, que exige muito detalhe e muita documentação, por parte das empresas”, explicou a autarquia, esclarecendo que no segundo caso, houve “facilidade de contacto com a nossa câmara municipal para agilizar o processo”.
Acerca dos desafios encontrados na implementação deste serviço, iniciado há um mês, “naturalmente, há ajustamentos que vão sendo feitos de forma proativa por quem está neste novo atendimento, em articulação com a administração central, para assim se poder dar resposta adequada aos casos concretos que surgem, tornando mais simples os processos burocráticos com que os empresários se defrontam e possibilitando-lhes que tratem num só lugar de assuntos que anteriormente exigiam a deslocação a vários sítios”, revelou a autarquia ao labor.
A Câmara Municipal de S. João da Madeira considera que o balanço deste novo serviço é “positivo, mas, sendo um serviço ainda novo no país e na nossa região, o grande desafio é torná-lo mais conhecido junto dos empreendedores, o que sentimos que está a acontecer gradualmente, até porque quem recorre ao Espaço Empresa tem percebido as vantagens que daí retira em termos de desburocratização dos processos”.



“A Lisboeta” abriu ontem na Avenida do Brasil
O café e snack bar “A Lisboeta” abriu portas ontem, dia 20 de junho, na Avenida do Brasil.
A proprietária Patrícia Amaro é natural de Lisboa, vive há dois anos em S. João da Madeira e decidiu arriscar, com a ajuda da família, na abertura desta “casa de petiscos”. Uma das coisas que esta lisboeta de gema notou quando se mudou para cá foi precisamente a escassez de espaços desse género, ao contrário de Lisboa.
Como “sempre trabalhei nesta área e no atendimento ao balcão”, “sempre tivemos o sonho de criar o nosso negócio próprio”, contou a proprietária de “A Lisboeta” ao labor.
Um pequeno detalhe burocrático relacionado com o alvará e o licenciamento zero levaram Patrícia Amaro à Câmara Municipal de S. João da Madeira que, por sua vez, encaminhou-a para o Espaço Empresa onde conseguiu resolver o assunto.
Nesta “casa de petisco e de família” poderá encontrar caracóis, moelas, pica-pau, ameijoa à bolhão de pato, camarão, entre outras iguarias.
“A Lisboeta” está aberta de segunda a quinta-feira, das 7h30 às 23h00, e à sexta-feira e ao sábado até à meia noite.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas