a informação essencial
Pub

“A situação financeira da junta de freguesia é saudável”

FOTO: Diana Familiar
//
Partilha

A Junta de Freguesia (JF) de S. João da Madeira (SJM) levou a cabo neste último ano, tal como nos três anos anteriores, o Orçamento Participativo da Junta, o Encontro Internacional de Ilustração, os passeios seniores (sénior e cultural sénior), as idas à praia e a cedência do transporte aos campos de férias, recordou a presidente Helena Couto, quarta-feira passada, durante a última assembleia de freguesia deste mandato. Neste ano, a JF sanjoanense também patrocinou uma parede de escalada na Semana da Juventude e levou a cultura através da iniciativa “Fado Vadio” às zonas periféricas da cidade. “Não gosto muito de chamar periféricas – porque cá tudo é central, mas o facto é que muitas se sentem assim nomeadamente Casaldelo, Devesa e Orreiro – por essa razão fizemos três sessões de fado vadio”, disse Helena Couto. O objetivo da iniciativa “era contratar fadistas para animação, mas em que qualquer pessoa podia cantar o fado”, explicou a presidente da JF. O “Fado vadio” teve “uma grande adesão da população”, revelou Helena Couto.
A presidente da JF sanjoanense destacou o trabalho levado a cabo por Filipa Barbosa que realizou um estágio através do programa de estágios de Jovens Estudantes do Ensino Superior nas Empresas (PENEJE) que consistiu na identificação das espécies arbóreas no Parque de Nossa Senhora dos Milagres.
A aluna de engenharia criou “uma aplicação informática com localização geográfica e informação sobre todas as espécies arbóreas no Parque de Nossa Senhora dos Milagres”, adiantou Helena Couto, considerando que esta “ferramenta espetacular” poderá ser aproveitada pelo município e pelas escolas.
Por fim, a presidente assegurou que “a situação financeira da junta de freguesia é saudável. Não temos dívidas, temos pessoas que nos devem a nós”. “No caso da ADS fizemos um acordo de pagamento da dívida existente antes deste mandato com prestações de 250 euros para assim irmos conseguindo de alguma forma resolver o problema”, explicou Helena Couto. Já “a questão da dívida da AEJ continua por resolver, tendo a JF avançado com um processo judicial, uma vez que não houve qualquer interesse por parte desta associação em resolver o problema”, lê-se no documento de informação escrita da presidente da JF de SJM.

“A junta poderia ter feito mais”

As intervenções da oposição começaram com Pedro Gual, deputado do PSD, a “enaltecer a forma como esta junta soube dinamizar o encontro de ilustração que é importante para a nossa cidade, para a cultura e para as escolas”.
Relativamente, à divulgação do Centro de Fisioterapia e da “Picadinha”, “a junta poderia ter feito mais”, afirmou Pedro Gual. Para o deputado do PSD, o número total de 854 pessoas que foram à praia é um bocado ilusório porque “dividido pelo número de idas à praia dá cerca de 40 pessoas em cada ida”, já para não falar das pessoas que foram mais do que uma vez.
A bancada “laranja” voltou a dizer que a rubrica dedicada à comunicação no valor de 8.000 euros é “excessiva” através de Pedro Gual, não entendendo a contratação de serviços de comunicação para a divulgação do Encontro Internacional de Ilustração e do Orçamento Participativo da Junta.
Por sua vez, José Miguel Dias, deputado do PSD, falou acerca da participação ainda aquém do esperado no Orçamento Participativo da Junta. “O próximo executivo tem um trabalho que este já começou a fazer, no sentido de melhorar e divulgar ainda mais estas ações”, disse.
“A grande marca deixada pela junta de freguesia foi exatamente o encontro de ilustração, uma marca que tem muito potencial deixando pela junta do PSD. Quando olho para a junta atual confesso que não vejo grande marca, mas conseguiram a participação da senhora presidente da junta no chumbo das novas piscinas para SJM”, afirmou Jorge Duarte em nome da bancada “laranja”.
Críticas à parte, os partidos reconheceram a importância do trabalho levado a cabo neste mando.
Primeiro com Pedro Gual a saudar a presidente e o executivo pelo “trabalho empenhado porque quem está neste tipo de atividade tem de ter empenho e gostar de SJM”. o deputado do PSD deixou ainda “votos de felicidade para o futuro” de Norlinda Lima que não volta a ser candidata à presidência da assembleia de freguesia, e à mesa do órgão, porque “a nossa amizade ultrapassa de longe as divergências políticas”.
A seguir, José Miguel Dias quis “agradecer todo o trabalho que fazem e fizeram enquanto executivo e nós membros da assembleia”. Por último, Paulo Duarte, reconheceu que “o que nos move é o bem da freguesia e da cidade”.

“Todos podemos sempre fazer mais pela nossa cidade”

Logo a seguir, Helena Couto aceitou “de forma construtiva as criticas apresentadas” e reconheceu ser possível fazer mais para que as pessoas participem nas iniciativas da JF desde o OPJ, “A Picadinha”, o Centro de Fisioterapia, entre outros.
A presidente da JF sanjoanense esclareceu ainda que a contratação de serviços de comunicação – além da rubrica dedicada à comunicação – diz respeito “ao design, à comunicação gráfica, à imagem” do Encontro Internacional de Ilustração.
A intervenção de Helena Couto terminou com um agradecimento “a todos pela forma empenhada e apaixonada com que se envolveram na nossa cidade. Acho que todos podemos sempre fazer mais pela nossa cidade. A todos um até já”.
A última assembleia de freguesia terminou com a intervenção da presidente Norlinda Lima que quis “agradecer por todos os elementos desta assembleia defenderem os seus ideais com o sentimento comum de ser pelo bem de SJM e dos sanjoanenses” e com “um comportamento muito cheio de civismo, amizade e compreensão entre todos”. As palavras de agradecimento foram estendidas à junta e câmara municipal, à comunicação social, aos agrupamentos de escola que permitiram realizar as assembleias de freguesia descentralizadas e aos fregueses que assistiram às sessões.

Comentários

Pub

Notícias relacionadas